Apocalipse - Adam Mattos
Adam Mattos
Sou advogado, aficcionado por leitura de todos os gêneros, e a minha grande paixão recém descoberta é a escrita.
Já publiquei em algumas antologias de terror e de temas variados, além de ter publicado também em antologias de poesias.
O maldito me fascina, tanto na leitura quanto na escrita, meu objetivo é causar calafrios em quem lê, e em mim mesmo que escrevo.
O feio, subversivo e errante é o mal aglutinador da espécie humana, que merece ser dominado pelo medo. Cuidado, aprecie minhas obras com a mente aberta e o estômago forte.







Apocalipse

Juca está andando pelas ruas da cidade, que um dia já foi conhecida como Curitiba, hoje são só escombros e lixos jogados por todo o lado, carros abandonados, ha muito sem nenhuma serventia, já que gasolina não existe mais, assim como não existe luz elétrica e nem água encanada. O mundo seguiu adiante, e cada um vive da maneira que dá. Não existem mais leis e nenhum tipo de civilidade, é cada um por si. Ele está a procura de alguma comida, pois faz alguns dias que não come, ele vasculha as casas vazias em busca de algum alimento enlatado que possa ainda estar bom, ou algum animal que possa caçar, mas está sem sorte. Ele está munido de um facão, que nunca sai do seu lado e de um arco e flecha que achou em uma casa ha alguns meses atrás.

Ele não lembra muito bem como começou tudo isso, apenas que uma guerra assolou o mundo e devastou todas as cidades, após isso parece que não existe mais civilização em lugar nenhum, pelo menos não na redondeza de Curitiba, e como não existem mais meios de transporte e nem energia elétrica, não há como saber se em algum outro lugar esteja melhor, ele apenas ouviu rumores de que em São Paulo existe uma comunidade auto suficiente que aceita novos integrantes, mas como chegar até lá a pé, se escondendo das gangues que rondam por todo lugar em busca de alimento, que muitas vezes é carne humana. Ele já encontrou essas gangues algumas vezes, mas conseguiu se esconder até que fossem embora.

Páginas: 1 2 3 4 5 6

Adam Mattos
Apocalipse

Juca está andando pelas ruas da cidade, que um dia já foi conhecida como Curitiba, hoje são só escombros e lixos jogados por todo o lado, carros abandonados, ha muito sem nenhuma serventia, já que gasolina não existe mais, assim como não existe luz elétrica e nem água encanada. O mundo seguiu adiante, e cada um vive da maneira que dá. Não existem mais leis e nenhum tipo de civilidade, é cada um por si. Ele está a procura de alguma comida, pois faz alguns dias que não come, ele vasculha as casas vazias em busca de algum alimento enlatado que possa ainda estar bom, ou algum animal que possa caçar, mas está sem sorte. Ele está munido de um facão, que nunca sai do seu lado e de um arco e flecha que achou em uma casa ha alguns meses atrás.

Ele não lembra muito bem como começou tudo isso, apenas que uma guerra assolou o mundo e devastou todas as cidades, após isso parece que não existe mais civilização em lugar nenhum, pelo menos não na redondeza de Curitiba, e como não existem mais meios de transporte e nem energia elétrica, não há como saber se em algum outro lugar esteja melhor, ele apenas ouviu rumores de que em São Paulo existe uma comunidade auto suficiente que aceita novos integrantes, mas como chegar até lá a pé, se escondendo das gangues que rondam por todo lugar em busca de alimento, que muitas vezes é carne humana. Ele já encontrou essas gangues algumas vezes, mas conseguiu se esconder até que fossem embora.

Páginas: 1 2 3 4 5 6