Assassino - Adam Mattos
Adam Mattos
Sou advogado, aficcionado por leitura de todos os gêneros, e a minha grande paixão recém descoberta é a escrita.
Já publiquei em algumas antologias de terror e de temas variados, além de ter publicado também em antologias de poesias.
O maldito me fascina, tanto na leitura quanto na escrita, meu objetivo é causar calafrios em quem lê, e em mim mesmo que escrevo.
O feio, subversivo e errante é o mal aglutinador da espécie humana, que merece ser dominado pelo medo. Cuidado, aprecie minhas obras com a mente aberta e o estômago forte.







Assassino

O sol bate no olho do homem
E desvia seu olhar por um segundo
Quando volta a olhar, suas vítimas somem
Lhe trazendo um sentimento profundo

Calmamente ele espera um momento
Até avistar outra possível vítima
Dessa vez escolherá com bastante discernimento
Para que sua ação seja legítima

Avista uma mulher grávida andando
Mira sua arma bem na barriga
E já visualiza aquela mulher afundando
Duas mortes em uma lhe intriga

Ele dispara não com o dedo, mas com o coração
Para sentir o prazer profundo do abate
A mulher cai já sem respiração
E ao fundo só se ouve um cachorro que late

Adam Mattos
Assassino

O sol bate no olho do homem
E desvia seu olhar por um segundo
Quando volta a olhar, suas vítimas somem
Lhe trazendo um sentimento profundo

Calmamente ele espera um momento
Até avistar outra possível vítima
Dessa vez escolherá com bastante discernimento
Para que sua ação seja legítima

Avista uma mulher grávida andando
Mira sua arma bem na barriga
E já visualiza aquela mulher afundando
Duas mortes em uma lhe intriga

Ele dispara não com o dedo, mas com o coração
Para sentir o prazer profundo do abate
A mulher cai já sem respiração
E ao fundo só se ouve um cachorro que late