Bela Vingança - Adam Mattos
Adam Mattos
Sou advogado, aficcionado por leitura de todos os gêneros, e a minha grande paixão recém descoberta é a escrita.
Já publiquei em algumas antologias de terror e de temas variados, além de ter publicado também em antologias de poesias.
O maldito me fascina, tanto na leitura quanto na escrita, meu objetivo é causar calafrios em quem lê, e em mim mesmo que escrevo.
O feio, subversivo e errante é o mal aglutinador da espécie humana, que merece ser dominado pelo medo. Cuidado, aprecie minhas obras com a mente aberta e o estômago forte.







Bela Vingança

Nas aflições insensíveis da devastação
A maldade aparece em todas as esferas
E surgem instantaneamente as feras
Que estão inexoravelmente em tentação

Por quê me persegues senhor?
Fujo, temendo pela minha morte
Calma, só quero lhe infligir dor
E para ti isso é uma sorte

Ele levanta seu facão e grita
Serás meu brinquedo de diversão!
Fique calma bela senhorita
Farei apenas uma pequena incisão

No desespero, tropeço e caio
A figura dantesca se aproxima
Tiro minha blusa e o distraio
“Nossa, como és belíssima”

Me levanto e tento correr
Quando um golpe atinge minhas costas
Me afundo no sangue a escorrer
Mas logo me viro buscando respostas

Ele fita hipnotizado os meus seios
E somado a dor, meu desespero aumenta
É então que ele percebe os olhares alheios
Percebendo ali uma besta sedenta

Ele se vira e corre para se salvar
Mas um ser iluminado o alcança
E por mais que tente se esquivar
Aconteceu ali uma bela vingança.

Adam Mattos
Bela Vingança

Nas aflições insensíveis da devastação
A maldade aparece em todas as esferas
E surgem instantaneamente as feras
Que estão inexoravelmente em tentação

Por quê me persegues senhor?
Fujo, temendo pela minha morte
Calma, só quero lhe infligir dor
E para ti isso é uma sorte

Ele levanta seu facão e grita
Serás meu brinquedo de diversão!
Fique calma bela senhorita
Farei apenas uma pequena incisão

No desespero, tropeço e caio
A figura dantesca se aproxima
Tiro minha blusa e o distraio
“Nossa, como és belíssima”

Me levanto e tento correr
Quando um golpe atinge minhas costas
Me afundo no sangue a escorrer
Mas logo me viro buscando respostas

Ele fita hipnotizado os meus seios
E somado a dor, meu desespero aumenta
É então que ele percebe os olhares alheios
Percebendo ali uma besta sedenta

Ele se vira e corre para se salvar
Mas um ser iluminado o alcança
E por mais que tente se esquivar
Aconteceu ali uma bela vingança.