Ditadura - Adam Mattos
Adam Mattos
Sou advogado, aficcionado por leitura de todos os gêneros, e a minha grande paixão recém descoberta é a escrita.
Já publiquei em algumas antologias de terror e de temas variados, além de ter publicado também em antologias de poesias.
O maldito me fascina, tanto na leitura quanto na escrita, meu objetivo é causar calafrios em quem lê, e em mim mesmo que escrevo.
O feio, subversivo e errante é o mal aglutinador da espécie humana, que merece ser dominado pelo medo. Cuidado, aprecie minhas obras com a mente aberta e o estômago forte.







Ditadura

Por quê o mundo anda tão intolerante? Porque essa fixação dos Estados Unidos em vencer o Comunismo? É claro que se pensarmos apenas de forma prática, o comunismo causa medo em países puramente capitalistas, mas será que é tão ruim assim? Marx defendia uma luta de classes para que diminuísse a desigualdade entre a burguesia e o proletariado, o que tem de errado nisso? Ao mesmo tempo, a liberdade econômica capitalista dá chances a pessoas enriquecerem, não sei se isso é justo, mas parece ser o que a maioria prefere. Eu não sei o que é melhor, só sei que nunca mais me meterei em discussões a esse respeito e quero distancia de política. Vou viver a minha vida tranquilo, cuidar da minha família e tentar ser feliz, independente dos rumos que o país tomar. Toca a campainha. Eu me levanto e vou ver quem está na porta, quando chego na sala, vejo três homens fortemente armados me esperando. Minha esposa estava em um canto assustada. Eu não tive tempo de me despedir dela e nem da minha filha, pois quando me viram, voaram em minha direção e me arrastaram para um carro estacionado em frente da minha casa, enquanto minha mulher e filha gritavam da porta por socorro, quando percebi, tinha um capuz cobrindo o meu rosto e meus braços estavam algemados para trás. Começava aí o meu inferno.

***

            A porta se abriu e entrou um homem que eu até então não tinha visto, ele carregava uma maleta preta, a colocou em cima de uma mesa, abriu calmamente e tirou de lá uma furadeira. Olhou para mim e disse:

            – Todo mundo aqui já está cansado de você, e eu acho que você também está cansado não?

            – Cade a minha filha? O que vocês fizeram com ela?

            – Isso vai depender da nossa conversa. Você está ponto para começar a falar?

            – Eu… Eu já disse, não sei de nada, nunca me encontrei com ninguém, não gosto de política, não sou comunista, sou professor de…

            – História, eu sei. Tudo isso eu já sei, mas veja bem, nós sabemos que você gosta de ensinar seus alunos que comunismo é legal, que houve um golpe e que o governo é usurpador e não deveria estar no poder, e por experiencia própria, esse tipo de “gente”(ele fez aspas com as mãos) não fica só na conversa, sempre se unem a outros agitadores terroristas para fazer algazarra e atrapalhar a nossa vida, então começa a falar agora, ou alem de eu furar a sua cabeça com esse brinquedinho aqui, vou deixar os rapazes se divertirem com a sua filhinha. Tem uns aqui que adoram meninas bem novinhas como ela.

Páginas: 1 2 3 4 5

Adam Mattos
Ditadura

Por quê o mundo anda tão intolerante? Porque essa fixação dos Estados Unidos em vencer o Comunismo? É claro que se pensarmos apenas de forma prática, o comunismo causa medo em países puramente capitalistas, mas será que é tão ruim assim? Marx defendia uma luta de classes para que diminuísse a desigualdade entre a burguesia e o proletariado, o que tem de errado nisso? Ao mesmo tempo, a liberdade econômica capitalista dá chances a pessoas enriquecerem, não sei se isso é justo, mas parece ser o que a maioria prefere. Eu não sei o que é melhor, só sei que nunca mais me meterei em discussões a esse respeito e quero distancia de política. Vou viver a minha vida tranquilo, cuidar da minha família e tentar ser feliz, independente dos rumos que o país tomar. Toca a campainha. Eu me levanto e vou ver quem está na porta, quando chego na sala, vejo três homens fortemente armados me esperando. Minha esposa estava em um canto assustada. Eu não tive tempo de me despedir dela e nem da minha filha, pois quando me viram, voaram em minha direção e me arrastaram para um carro estacionado em frente da minha casa, enquanto minha mulher e filha gritavam da porta por socorro, quando percebi, tinha um capuz cobrindo o meu rosto e meus braços estavam algemados para trás. Começava aí o meu inferno.

***

            A porta se abriu e entrou um homem que eu até então não tinha visto, ele carregava uma maleta preta, a colocou em cima de uma mesa, abriu calmamente e tirou de lá uma furadeira. Olhou para mim e disse:

            – Todo mundo aqui já está cansado de você, e eu acho que você também está cansado não?

            – Cade a minha filha? O que vocês fizeram com ela?

            – Isso vai depender da nossa conversa. Você está ponto para começar a falar?

            – Eu… Eu já disse, não sei de nada, nunca me encontrei com ninguém, não gosto de política, não sou comunista, sou professor de…

            – História, eu sei. Tudo isso eu já sei, mas veja bem, nós sabemos que você gosta de ensinar seus alunos que comunismo é legal, que houve um golpe e que o governo é usurpador e não deveria estar no poder, e por experiencia própria, esse tipo de “gente”(ele fez aspas com as mãos) não fica só na conversa, sempre se unem a outros agitadores terroristas para fazer algazarra e atrapalhar a nossa vida, então começa a falar agora, ou alem de eu furar a sua cabeça com esse brinquedinho aqui, vou deixar os rapazes se divertirem com a sua filhinha. Tem uns aqui que adoram meninas bem novinhas como ela.

Páginas: 1 2 3 4 5