Enfeite raro - Adam Mattos
Adam Mattos
Sou advogado, aficcionado por leitura de todos os gêneros, e a minha grande paixão recém descoberta é a escrita.
Já publiquei em algumas antologias de terror e de temas variados, além de ter publicado também em antologias de poesias.
O maldito me fascina, tanto na leitura quanto na escrita, meu objetivo é causar calafrios em quem lê, e em mim mesmo que escrevo.
O feio, subversivo e errante é o mal aglutinador da espécie humana, que merece ser dominado pelo medo. Cuidado, aprecie minhas obras com a mente aberta e o estômago forte.







Enfeite raro

Mosquitos rondam uma clareira na floresta
Onde se encontra um corpo se decompondo
Um homem se enrola em uma pele funesta
E as amofinações da vida vão se expondo

Antes um homem tinha outro consigo
Já sem vida enrolado em um cobertor
Procurava um local que não houvesse perigo
Para se livrar, sem que descobrissem que era o autor

Ele tirou toda a pele da vítima com cuidado
Para guardá-la como um troféu
Quando tudo já estava consolidado
Era hora de agir, para não se tornar um réu

Achou na floresta uma clareira perfeita
Cavou uma cova rasa para a carne que sobrara
A pele é um artigo que o enfeita
Da maneira possivelmente mais perfeita e rara

Adam Mattos
Enfeite raro

Mosquitos rondam uma clareira na floresta
Onde se encontra um corpo se decompondo
Um homem se enrola em uma pele funesta
E as amofinações da vida vão se expondo

Antes um homem tinha outro consigo
Já sem vida enrolado em um cobertor
Procurava um local que não houvesse perigo
Para se livrar, sem que descobrissem que era o autor

Ele tirou toda a pele da vítima com cuidado
Para guardá-la como um troféu
Quando tudo já estava consolidado
Era hora de agir, para não se tornar um réu

Achou na floresta uma clareira perfeita
Cavou uma cova rasa para a carne que sobrara
A pele é um artigo que o enfeita
Da maneira possivelmente mais perfeita e rara