Fim - Adam Mattos
Adam Mattos
Sou advogado, aficcionado por leitura de todos os gêneros, e a minha grande paixão recém descoberta é a escrita.
Já publiquei em algumas antologias de terror e de temas variados, além de ter publicado também em antologias de poesias.
O maldito me fascina, tanto na leitura quanto na escrita, meu objetivo é causar calafrios em quem lê, e em mim mesmo que escrevo.
O feio, subversivo e errante é o mal aglutinador da espécie humana, que merece ser dominado pelo medo. Cuidado, aprecie minhas obras com a mente aberta e o estômago forte.







Fim

 

Tudo o que faço é dramático

Rodeado de caos espúrio

Isso é sintomático

Nesse mundo cada vez mais dinâmico

 

Pego meus pensamentos e os torno públicos

Mesmo cheio de dúvidas

Muitos deles são diabólicos

Deixando minha consciência em dívida

 

A vida é cheia de misérias

A linha da felicidade é tênue

Mas é difícil esquecer as mágoas

Ainda mais quando vêm em série

 

Os sentimentos caem em uma armadilha íngreme

Lá embaixo, vejo a superfície líquida

Sei o que vai acontecer por epísteme

Mas depois de tudo, minha saúde está lânguida

 

Sem pensar, me entrego, sonâmbulo

Deixo para trás o ser problemático

Racho a cabeça no paralelepípedo

Agora não sou mais dramático

 

Tudo o que faço é dramático

Rodeado de caos espúrio

Isso é sintomático

Nesse mundo cada vez mais dinâmico

 

Pego meus pensamentos e os torno públicos

Mesmo cheio de dúvidas

Muitos deles são diabólicos

Deixando minha consciência em dívida

 

A vida é cheia de misérias

A linha da felicidade é tênue

Mas é difícil esquecer as mágoas

Ainda mais quando vêm em série

 

Os sentimentos caem em uma armadilha íngreme

Lá embaixo, vejo a superfície líquida

Sei o que vai acontecer por epísteme

Mas depois de tudo, minha saúde está lânguida

 

Sem pensar, me entrego, sonâmbulo

Deixo para trás o ser problemático

Racho a cabeça no paralelepípedo

Agora não sou mais dramático