A ereção - Allan Fear
Allan Fear
Eu sou Allan Fear, um escritor de contos, em sua maioria de terror. Desde a adolescência que gostava de escrever e desenhar, confesso que tenho um gosto um tanto excêntrico pelo horror. Vivo tendo idéias horripilantes o tempo todo. Gosto de escrever contos tanto para crianças quanto para adultos.
Eu tenho algumas obras publicadas pela editora Clube de Autores e continuo escrevendo. Recentemente dei vida a meu alter ego inumano, o Sr. Medo, que narra alguns de meus contos para um canal no You Tube.
Eu gosto muito de ler livros de mistério, HQ's, ver filmes e ouvir antigas canções de Heavy metal, mas o que me inspira mesmo a escrever é a boa e velha música clássica.
E-mail: noitesdehalloween@gmail.com
Site: https://noitesdehalloween.wixsite.com/allanfear





A ereção

          Era um domingo no final da tarde, quando minha esposa e eu estávamos no embarque da rodoviária aguardando o ônibus para voltar à nossa cidade em Guarulhos São Paulo.

          Aos olhares alheios, o semblante triste e depressivo expresso no rosto de minha esposa e também no meu, passava a impressão de que estávamos retornando, ou indo, para um velório. Eu estava cabisbaixo, profundamente magoado e chateado.

          Minha amada Esposa Jussara, uma mulher jovem, de corpo sarado e longos cabelos loiros, parecia insegura, eu diria até arrependida e confusa.

          Na verdade, estávamos retornando de nossa, fracassada, lua de mel. Não porque não havia amor, mas algo muito frustrante havia acontecido.

          Meu nome é Renan, sou analista de sistema e quando entrei para a academia há quase um ano, conheci Jussara, uma mulher simples, humilde, mas encantadora e de cara eu já me interessei. Começamos a sair, conheci sua família e descobri que ela era uma daquelas damas a moda antiga, cuja crença permitia o sexo apenas depois do casamento.

          Eu realmente me apaixonei por ela, ardia-me de desejos de leva-la para a cama, mas minha persuasão não surtia efeitos com ela, e naquele misto de amor, romance e sedução, decidi me casar, afinal ela era lindíssima, com um corpo de deixar qualquer marmanjo babando.

          No auge de meus 35 anos eu sempre fui um galanteador, adorava encontros casuais e estava sempre indo para a cama com lindas beldades, mas assim que assumi o namoro com Jussara, eu parei com os encontros casuais.

          Jussara era uma mulher de igreja e me arrastava com ela para as missas e logo comecei a amar de verdade aquela mulher, ficando totalmente casto por ela, aguardando a noite de núpcias para, finalmente, poder voltar a experimentar o doce prazer do gozo.

          Passou-se então, 6 longos meses que eu não tive uma ejaculação sequer a aprendi a controlar. Nossos beijos eram muito suaves e quando o clima começava a esquentar ela se afastava.

          Por fim nos casamos em uma linda cerimônia e viajamos para cabo frio para nossa noite de núpcias.

          Mas todo aquele desejo por Jussara que me fazia respirar fundo para acalmar meu companheiro que ficava duro como rocha, simplesmente, em nossa noite de núpcias, apenas fez disparar meu coração e causar tremeliques em minhas mãos. De alguma forma estranha, eu não mais consegui uma ereção. Tentamos de tudo e nada, nem mesmo um daqueles comprimidos de Viagra conseguiu me ajudar.

Páginas: 1 2 3 4

Allan Fear
A ereção

          Era um domingo no final da tarde, quando minha esposa e eu estávamos no embarque da rodoviária aguardando o ônibus para voltar à nossa cidade em Guarulhos São Paulo.

          Aos olhares alheios, o semblante triste e depressivo expresso no rosto de minha esposa e também no meu, passava a impressão de que estávamos retornando, ou indo, para um velório. Eu estava cabisbaixo, profundamente magoado e chateado.

          Minha amada Esposa Jussara, uma mulher jovem, de corpo sarado e longos cabelos loiros, parecia insegura, eu diria até arrependida e confusa.

          Na verdade, estávamos retornando de nossa, fracassada, lua de mel. Não porque não havia amor, mas algo muito frustrante havia acontecido.

          Meu nome é Renan, sou analista de sistema e quando entrei para a academia há quase um ano, conheci Jussara, uma mulher simples, humilde, mas encantadora e de cara eu já me interessei. Começamos a sair, conheci sua família e descobri que ela era uma daquelas damas a moda antiga, cuja crença permitia o sexo apenas depois do casamento.

          Eu realmente me apaixonei por ela, ardia-me de desejos de leva-la para a cama, mas minha persuasão não surtia efeitos com ela, e naquele misto de amor, romance e sedução, decidi me casar, afinal ela era lindíssima, com um corpo de deixar qualquer marmanjo babando.

          No auge de meus 35 anos eu sempre fui um galanteador, adorava encontros casuais e estava sempre indo para a cama com lindas beldades, mas assim que assumi o namoro com Jussara, eu parei com os encontros casuais.

          Jussara era uma mulher de igreja e me arrastava com ela para as missas e logo comecei a amar de verdade aquela mulher, ficando totalmente casto por ela, aguardando a noite de núpcias para, finalmente, poder voltar a experimentar o doce prazer do gozo.

          Passou-se então, 6 longos meses que eu não tive uma ejaculação sequer a aprendi a controlar. Nossos beijos eram muito suaves e quando o clima começava a esquentar ela se afastava.

          Por fim nos casamos em uma linda cerimônia e viajamos para cabo frio para nossa noite de núpcias.

          Mas todo aquele desejo por Jussara que me fazia respirar fundo para acalmar meu companheiro que ficava duro como rocha, simplesmente, em nossa noite de núpcias, apenas fez disparar meu coração e causar tremeliques em minhas mãos. De alguma forma estranha, eu não mais consegui uma ereção. Tentamos de tudo e nada, nem mesmo um daqueles comprimidos de Viagra conseguiu me ajudar.

Páginas: 1 2 3 4