VÍSCERAS, MIOLOS E MUITA CARNIÇA- Parte 06 (Final) - Allan Fear
Allan Fear
Eu sou Allan Fear, um escritor de contos, em sua maioria de terror. Desde a adolescência que gostava de escrever e desenhar, confesso que tenho um gosto um tanto excêntrico pelo horror. Vivo tendo idéias horripilantes o tempo todo. Gosto de escrever contos tanto para crianças quanto para adultos.
Eu tenho algumas obras publicadas pela editora Clube de Autores e continuo escrevendo. Recentemente dei vida a meu alter ego inumano, o Sr. Medo, que narra alguns de meus contos para um canal no You Tube.
Eu gosto muito de ler livros de mistério, HQ's, ver filmes e ouvir antigas canções de Heavy metal, mas o que me inspira mesmo a escrever é a boa e velha música clássica.
E-mail: noitesdehalloween@gmail.com
Site: https://noitesdehalloween.wixsite.com/allanfear





VÍSCERAS, MIOLOS E MUITA CARNIÇA- Parte 06 (Final)

            O rapaz me deu um gancho de direita na cara, fazendo eu sentir meus dentes chacoalharem e o gosto de sangue encher minha boca.

            Em seguida o velho me deu uma boa paulada que acertou no meu braço esquerdo que usei para defender minha cabeça, então olhei para a vadia que eu havia salvo pular sobre mim pronta para espetar sua faca no meu peito.

            Eu estava muito ferrado.

 

VÍSCERAS, MIOLOS E MUITA CARNIÇA

 

Parte 7

           

A raiva e o ódio pela ingratidão daqueles merdas filhos da puta me deram forças, eu saltei para o lado e com o braço bom empurrei a vagabunda pelo ombro, corri e peguei o facão, já virando e rasgando as pernas do velho que havia vindo em meu encalço.

            O velho berrou quando suas pernas foram rasgadas e seu sangue esguichou no asfalto.

            Eu fui rápido, mesmo mancando da perna esfaqueada e com o braço esquerdo fraturado, brami o facão e o desci com força no pescoço da vagabunda no momento em que ela iria me atacar com sua faca suja com meu sangue.

            A puta deixou a faca cair e tentou estancar a boceta aberta em seu pescoço com as mãos, aí eu me ajoelhei e espetei sua barriga com meu facão.

            Quando retirei a lâmina de sua barriga, suas tripas e vísceras desceram como merda numa cachoeira de sangue.

            Eu me voltei para o puto que me olhava com seus olhos esbugalhados de terror. Então ele começou a correr.

            Eu queria ir atrás dele, mas minha perna doía pra caralho, então ajeitei a mochila nos meus ombros e andei até o velho que agonizava e decidi que ele seria uma boa refeição para minha filhinha zumbi, poderia destrinchá-lo ali mesmo.

            Mas antes de arrancar a cabeça do maldito idoso, ouvi os gritos do rapaz que havia fugido. Olhei na direção dos gritos e lá estava ele sendo cercado por uma horda de zumbis.

            Os mortos-vivos começaram a comer o rapaz com mordidas famintas para em seguida enfiarem suas mãos podres em suas entranhas e puxar suas tripas.

Páginas: 1 2 3 4

Allan Fear
VÍSCERAS, MIOLOS E MUITA CARNIÇA- Parte 06 (Final)

            O rapaz me deu um gancho de direita na cara, fazendo eu sentir meus dentes chacoalharem e o gosto de sangue encher minha boca.

            Em seguida o velho me deu uma boa paulada que acertou no meu braço esquerdo que usei para defender minha cabeça, então olhei para a vadia que eu havia salvo pular sobre mim pronta para espetar sua faca no meu peito.

            Eu estava muito ferrado.

 

VÍSCERAS, MIOLOS E MUITA CARNIÇA

 

Parte 7

           

A raiva e o ódio pela ingratidão daqueles merdas filhos da puta me deram forças, eu saltei para o lado e com o braço bom empurrei a vagabunda pelo ombro, corri e peguei o facão, já virando e rasgando as pernas do velho que havia vindo em meu encalço.

            O velho berrou quando suas pernas foram rasgadas e seu sangue esguichou no asfalto.

            Eu fui rápido, mesmo mancando da perna esfaqueada e com o braço esquerdo fraturado, brami o facão e o desci com força no pescoço da vagabunda no momento em que ela iria me atacar com sua faca suja com meu sangue.

            A puta deixou a faca cair e tentou estancar a boceta aberta em seu pescoço com as mãos, aí eu me ajoelhei e espetei sua barriga com meu facão.

            Quando retirei a lâmina de sua barriga, suas tripas e vísceras desceram como merda numa cachoeira de sangue.

            Eu me voltei para o puto que me olhava com seus olhos esbugalhados de terror. Então ele começou a correr.

            Eu queria ir atrás dele, mas minha perna doía pra caralho, então ajeitei a mochila nos meus ombros e andei até o velho que agonizava e decidi que ele seria uma boa refeição para minha filhinha zumbi, poderia destrinchá-lo ali mesmo.

            Mas antes de arrancar a cabeça do maldito idoso, ouvi os gritos do rapaz que havia fugido. Olhei na direção dos gritos e lá estava ele sendo cercado por uma horda de zumbis.

            Os mortos-vivos começaram a comer o rapaz com mordidas famintas para em seguida enfiarem suas mãos podres em suas entranhas e puxar suas tripas.

Páginas: 1 2 3 4