Silenciados - Ana Rosenrot
Ana Rosenrot
Ana Rosenrot, de Jacareí – SP, é escritora, editora, cineasta trash e pesquisadora de cinema, integrou antologias nacionais e internacionais e participou de várias edições do projeto "A Arte do Terror". Assina a "Coluna CULTíssimo", especializada em cinema e universo cult. No cinema, trabalha com produções independentes, longas e curtas-metragens, quase sempre voltados para o terror e o trash. Recebeu também 7 estatuetas do Prêmio "Corvo de Gesso" (2013-14-15-17), conhecido como "O Oscar do Cinema Trash" e foi curadora das duas edições da “Monstro – Mostra de Cinema Fantástico de Jacareí”(2015-16).
É criadora e editora da Revista LiteraLivre, uma publicação bimestral que uni escritores independentes e autora do livro "Cinema e Cult – vol. 1", lançado em 2018.
http://cultissimo.wixsite.com/anarosenrot/
https://www.facebook.com/AnaRosenrott/
Instagram: @anarosenrot





Silenciados

Crianças sem voz, perdidas,
em suas almas feridas,
corpos marcados, abusados…

Traição, de quem deveria ensinar,
perseguição, medo, vergonha,
sem ninguém para amparar…

A impunidade a reinar,
o silêncio e a mentira a governar,
doce inocência manchada com sangue…

Carrascos em longas batinas,
protegidos pelos véus manchados da fé,
agindo em nome de Deus,
são monstros mascarados,
profetas demoníacos disfarçados…

Que de ódio se embriaguem,
e a justiça os afogue,
se não a de Deus, nem a dos homens,
que o diabo advogue,
e os atire, nas profundezas,
para no fogo infernal queimar.
Ajoelhados a rezar.

Ana Rosenrot
Silenciados

Crianças sem voz, perdidas,
em suas almas feridas,
corpos marcados, abusados…

Traição, de quem deveria ensinar,
perseguição, medo, vergonha,
sem ninguém para amparar…

A impunidade a reinar,
o silêncio e a mentira a governar,
doce inocência manchada com sangue…

Carrascos em longas batinas,
protegidos pelos véus manchados da fé,
agindo em nome de Deus,
são monstros mascarados,
profetas demoníacos disfarçados…

Que de ódio se embriaguem,
e a justiça os afogue,
se não a de Deus, nem a dos homens,
que o diabo advogue,
e os atire, nas profundezas,
para no fogo infernal queimar.
Ajoelhados a rezar.