Água Inquietante - parte 2 - Bruno Costa
Bruno Costa
Faz parte de um grupo de RPG chamado Erro Crítico. Foi onde interpretou, durante três anos, um vampiro cafetão do século XIV. Antes de completar 19 anos, Bruno trepou com a Loucura. Depois, traiu sua amante com dois comprimidos.
Às 10:00 horas: Antietanol.
Às 22:00 horas: Carbamazepina. (Nunca entendeu esse aqui)
Foi outro relacionamento que terminou rápido. Ele desprezou a receita ilegível. Mas não reatou com a sua companheira de bebida. Só com o álcool e a solidão. E de vez em quando, a Loucura ainda quer uma rapidinha no escuro.
Ex-Louco cheio de cicatrizes de catapora no rosto. Escreve com violência. Ler até passar mal. Cospe tanta fumaça quanto um incêndio criminoso. Filho do velho Mundo das Trevas. Odeia seres humanos castrados. Ri da própria desgraça. Sonha com a extinção em massa. E tem amor pelas putas assumidas.
Com uma mistura de frescura e brutalidade, ele sentou-se com Álvares de Azevedo numa Noite na Taverna, o Poeta bebeu sangue de virgem, enquanto Bruno bebia o mijo do Diabo. Claro que passou mal!
Nunca mais parou de vomitar.
O resultado foi uma sopa de letrinhas que formam palavrões. No estilo: vai tomar no cu, filho da puta! Que mijo horrível! Coloca mais, aí!
E-mail: bruno.grazoonp@gmail.com
Wattpad: @Grazoon
Facebook: https://www.facebook.com/bruno.grazoon






Água Inquietante – parte 2

O homem-sapo sorri com seus dentes de piranha. Um pulo. E a criatura aterrissa ao lado da psicóloga, agarra os cabelos encaracolados e loiros, e a derruba no chão com um puxão violento.

Aquilo não deveria existir? O toque pegajoso da criatura é real. Tão repulsivo quanto o toque gelado da morte. O grito preso na alma condenada saí rasgando a garganta.

— NÃO! SOCORRO! ALGU… blo, blo, blo, blo…

Nego D´água pula da ponte, levando Rebeca pelos cabelos. Cai no rio. Os gritos horríveis dão lugar a centenas de bolhas que sobem até a superfície. O mundo se torna líquido, embaçado e profundo. O ar desaparece rapidamente e com ele a vida de Rebeca.

Lucia vai até a borda da ponte, senta e começa a balançar os pés mais uma vez. A noite linda, a injustiça e o sofrimento lhe sai pela boca em ritmo de canção:

Se a canoa virar

Meu Nego D´água vai tá lá

Se a linha da vida partir

Meu Nego D´água vai sorrir

Se meu filho me abandonar

— Tlá-Tlá-Tlá

 

Páginas: 1 2 3 4

Bruno Costa
Água Inquietante – parte 2

O homem-sapo sorri com seus dentes de piranha. Um pulo. E a criatura aterrissa ao lado da psicóloga, agarra os cabelos encaracolados e loiros, e a derruba no chão com um puxão violento.

Aquilo não deveria existir? O toque pegajoso da criatura é real. Tão repulsivo quanto o toque gelado da morte. O grito preso na alma condenada saí rasgando a garganta.

— NÃO! SOCORRO! ALGU… blo, blo, blo, blo…

Nego D´água pula da ponte, levando Rebeca pelos cabelos. Cai no rio. Os gritos horríveis dão lugar a centenas de bolhas que sobem até a superfície. O mundo se torna líquido, embaçado e profundo. O ar desaparece rapidamente e com ele a vida de Rebeca.

Lucia vai até a borda da ponte, senta e começa a balançar os pés mais uma vez. A noite linda, a injustiça e o sofrimento lhe sai pela boca em ritmo de canção:

Se a canoa virar

Meu Nego D´água vai tá lá

Se a linha da vida partir

Meu Nego D´água vai sorrir

Se meu filho me abandonar

— Tlá-Tlá-Tlá

 

Páginas: 1 2 3 4