Bra$il - Carli Bortolanza
Carli Bortolanza
Sou um apaixonado, poeta e louco.
Perpasso entre as metáforas, aforismos e linguagens subliminares.
Da beleza ingênua e pura a feiura nua e crua. Da macies da face à macies da decomposição da carne humana. Vida e ou morte, carícias e ou torturas, são apenas pontos de vistas, vistas de um ponto. A beleza está na cerca que cerca, mas que também pode ser acerca que os prende. Nada é o que parece ser, há sempre um elo perdido nas linguagens ocultas que devem lhe fazer pensar nos conceitos das palavras descritas, pois elas não são o simples, o imediato do que estás a ler. Aprofunda-se, pois não escrevo aos outros, escrevo para orientar o EU obscuro de meu ente, escondido no inconsciente de minhas palavras, afrouxando minha gosma cefálica e dado lugar aos sonhos despertos, revelando minhas insanidades lisérgicas nos caminhos turvos dessa incompreensão desforme e não humana.




Bra$il

Formigamento no braço esquerdo, sinal de um ataque cardíaco, porém são só os batimentos cardíacos acelerados por sua presença;

E a flecha do cupido certamente acertou em cheio o coração, mas o que dói é o peito com essa política podre que nos guia.

Raro é o ar puro que parece rarefeito, mas é o feito pelo estar ao seu lado, degustando a cerveja que alivia a angústia desse mundo miserável.

Nossa união é instável, tanto quanto nossa angústia de uma sociedade contaminada pela ignorância e pelos agrotóxicos.

Arde as chamas do desejo em estar junto, mas não preso ao machismo e militarismo que,  de mãos dadas avançam em nossas fronteiras desprotegidas de armas de fogo, legalmente aceitos pelos bárbaros que aprovaram tais barbáries.

No ventre de nosso amor, poderia gerar vida para um ser que sem futuro escolar e cultural viria ao mundo para alimentar a mão de obra escrava de nosso país, vendido aos forasteiros elitizados.

Dádiva será se conseguirmos juntos ficar, unidos pelo amor que tanto desprezam em rancor a liberdade que lutamos em conseguir manter.

Amores fraternos e sentimentos leais nos farão lutar pela sobrevivência não só do amor, mas da pátria pútrida de religiões e políticas, que visam  desconstruir o que a muitos e por muitos buscou-se construir e preservar. A liberdade e, e de amar.



Formigamento no braço esquerdo, sinal de um ataque cardíaco, porém são só os batimentos cardíacos acelerados por sua presença;

E a flecha do cupido certamente acertou em cheio o coração, mas o que dói é o peito com essa política podre que nos guia.

Raro é o ar puro que parece rarefeito, mas é o feito pelo estar ao seu lado, degustando a cerveja que alivia a angústia desse mundo miserável.

Nossa união é instável, tanto quanto nossa angústia de uma sociedade contaminada pela ignorância e pelos agrotóxicos.

Arde as chamas do desejo em estar junto, mas não preso ao machismo e militarismo que,  de mãos dadas avançam em nossas fronteiras desprotegidas de armas de fogo, legalmente aceitos pelos bárbaros que aprovaram tais barbáries.

No ventre de nosso amor, poderia gerar vida para um ser que sem futuro escolar e cultural viria ao mundo para alimentar a mão de obra escrava de nosso país, vendido aos forasteiros elitizados.

Dádiva será se conseguirmos juntos ficar, unidos pelo amor que tanto desprezam em rancor a liberdade que lutamos em conseguir manter.

Amores fraternos e sentimentos leais nos farão lutar pela sobrevivência não só do amor, mas da pátria pútrida de religiões e políticas, que visam  desconstruir o que a muitos e por muitos buscou-se construir e preservar. A liberdade e, e de amar.