A proposta - Parte 1 - Cláudio Kaz
Cláudio Kaz
Cláudio Castro de Mendonça sempre teve a influência da música em sua vida. Sua mãe, uma amante da música e da cultura, sempre incentivou o contato do filho com a arte. Quando tinha 10 anos começou a fazer aula de violão e não deu sequência, aos 17 anos mais maduro e decidido voltou as aulas de violão, começou a cantar em corais e amadureceu como compositor. Seus ídolos e influentes foram Rock dos anos 80 com Legião Urbana, a banda internacional The Smiths e a nova geração da MPB como Zeca Baleiro nos anos 90.
Em 2001 começou sua carreira profissional tocando em bares da cidade. Logo em 2002 recebeu um convite para tocar contrabaixo na banda Racha Cuca que tocava hardcore. Com essa banda pode mostrar seu trabalho como compositor, tocando e cantando pela primeira vez uma musica de composição própria. Com a Racha Cuca, Cláudio participou do festival de bandas novas de Juiz de Foras- MG e o projeto cultual nossa música. Em 2003 Cláudio quis mudar seu estilo musical e formou uma banda de pop rock chamada Rota sul. Com ela tocou em eventos importantes da cidade como o projeto fome zero e participou de vários festivais e projetos culturais.
Em 2005, Cláudio realizou seu sonho que gravar seu primeiro disco. Com o nome artístico Klauss, lançou “A Porta” em um teatro lotado de amigos e fãs. O disco era uma mistura de pop rock com baladas românticas com influência nos anos 80. Klauss lançou esse disco totalmente autoral em parceria com a Discovery Music.
Em 2008 gravou seu segundo disco, seu primeiro trabalho pela Seven Music, selo da Universal Music. Este disco foi versões de alguns clássicos do pop rock dos anos 80 e de alguns anônimos esquecidos.
Em 2011, aos 30 anos, com o nome artístico de Cláudio Kaz, gravou “Sol da meia noite” Um disco que mistura o folk americano, brasileiro, irlandês com musica country e musica de raiz brasileira. Algumas músicas soando como Legião Urbana e The Smiths.
Formado em História pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em 2002 e em inglês na Abbey College em 2010, recentemente adquiriu o diploma de pos graduação em Gestão do Ensino Superior pela Faculdade Estácio de Sá. Morou na República da Irlanda em 2010. Lecionou inglês, foi membro da banda Vilarejo que faz tributo a banda mineira Skank. Sem medo de arriscar e mostrando em cada música seu amadurecimento pessoal e artístico, Cláudio continua trabalhando com música. Hoje como Educador Social na LBV.
Apesar de desde os 18 anos escrever poesias, desde de 2009 escreve contos. Seu projeto atual é a biografia do músico Joãozinho da Percussão. Possui textos publicados em 2 blogs.
E-mail: claudiokaz@bol.com.br
Facebook: facebook.com/claudiokaz






A proposta – Parte 1

“Põe mais dez de cada lado” diz Tiago para seu aluno que imediatamente coloca um peso de dez quilos de cada lado da barra de ferro. Reinaldo, admirava Tiago. Adorava o que ele fazia com o próprio corpo. Como ele moldava seu corpo e mostrava sua imponência perante todos da academia.

Tiago gostava de se exibir dando gritos quando levantava pessoas. E também quando estava perto de sua namorada Camila. Ela também era professora da academia e possuía, assim como Tiago, um corpo invejável. Os homens a desejavam. Principalmente quando estava nos aparelhos ou dançando nas aulas de zumba. As mulheres a invejavam.

Os dois não eram donos da academia, mas era a vitrine. O proprietário sabia disso e lucrava bastante com novos alunos. Poucos eram os inadimplentes, pois praticamente todos queriam ver o casal. Eles eram a cereja em cima do bolo. Para alguns eles eram o prato principal. Mesmo que os dois não fossem lá essas simpatias. Mas não precisavam ficar conversando nem dando ideias para assuntos que não fossem pertinentes ao ambiente.

Reinaldo já possuía um apelido entre a maioria: cachorrinho. Alguns o chamavam de filhote ou até mesmo bichinho de estimação. Tudo isso devido ele ser quase uma sombra de Tiago. Estava sempre o ajudando na hora dos exercícios. Reinaldo treinava um pouco antes de Tiago para poder ter tempo livre e ajudar na busca dos pesos e ajudar na hora de levantar os pesos livres. Reinaldo não gostava, obviamente, dos apelidos, mas também não se importava. Aliás, ninguém nunca o chamou diretamente desses termos pejorativos. Sabia que no fundo estavam certos, mas ele gostava era de um dia ser como Tiago. Apesar de ter que superar e muito seus noventa quilos e sua avantajada barriga.

Tiago não destratava Reinaldo, porém, na frente de outras pessoas, não o lidava com ele de igual para igual. E sim como um capacho. Ordenava o tempo todo e vez em quando fazia piadinhas com certa humilhação em frente aos alunos mais musculosos. Entretanto, quando conversavam fora da academia, o que não era muito constante, eles conversavam amigavelmente.

Já Camila, o tratava com ternura. De uma forma bem feminina, mas bem infantil também. Achava engraçado como ele ruboriza quando ela está por perto e quando passa a mão em suas costas. Somente quando estão os três e fora da academia. Lá dentro ela sequer olha para ele.
Tudo estava dentro dos parâmetros, quando entrou um aluno novo. Vladimir. Nada demais, porém, esse criou um certo mal estar em Reinaldo. Principalmente porque olhava muito para Tiago e para Camila. Isso desconcertou um pouco Reinaldo, pois suspeitava que pudesse perder seu posto. Principalmente porque Vladimir era esbelto, pouco gordura no corpo. Não era musculoso, porém, era bem definido. Reinaldo achava estranho como Vladimir olhava para Tiago. Parecia que o desejava. E ainda começou a conversar com Camila numa intimidade rapidamente adquirida. Pareciam amigos. Muitos repararam que aquele cara era muito branco, quase pálido, tinha um jeito meio efeminado, porém, não chegava a ser gay.

Páginas: 1 2 3

Cláudio Kaz
A proposta – Parte 1

“Põe mais dez de cada lado” diz Tiago para seu aluno que imediatamente coloca um peso de dez quilos de cada lado da barra de ferro. Reinaldo, admirava Tiago. Adorava o que ele fazia com o próprio corpo. Como ele moldava seu corpo e mostrava sua imponência perante todos da academia.

Tiago gostava de se exibir dando gritos quando levantava pessoas. E também quando estava perto de sua namorada Camila. Ela também era professora da academia e possuía, assim como Tiago, um corpo invejável. Os homens a desejavam. Principalmente quando estava nos aparelhos ou dançando nas aulas de zumba. As mulheres a invejavam.

Os dois não eram donos da academia, mas era a vitrine. O proprietário sabia disso e lucrava bastante com novos alunos. Poucos eram os inadimplentes, pois praticamente todos queriam ver o casal. Eles eram a cereja em cima do bolo. Para alguns eles eram o prato principal. Mesmo que os dois não fossem lá essas simpatias. Mas não precisavam ficar conversando nem dando ideias para assuntos que não fossem pertinentes ao ambiente.

Reinaldo já possuía um apelido entre a maioria: cachorrinho. Alguns o chamavam de filhote ou até mesmo bichinho de estimação. Tudo isso devido ele ser quase uma sombra de Tiago. Estava sempre o ajudando na hora dos exercícios. Reinaldo treinava um pouco antes de Tiago para poder ter tempo livre e ajudar na busca dos pesos e ajudar na hora de levantar os pesos livres. Reinaldo não gostava, obviamente, dos apelidos, mas também não se importava. Aliás, ninguém nunca o chamou diretamente desses termos pejorativos. Sabia que no fundo estavam certos, mas ele gostava era de um dia ser como Tiago. Apesar de ter que superar e muito seus noventa quilos e sua avantajada barriga.

Tiago não destratava Reinaldo, porém, na frente de outras pessoas, não o lidava com ele de igual para igual. E sim como um capacho. Ordenava o tempo todo e vez em quando fazia piadinhas com certa humilhação em frente aos alunos mais musculosos. Entretanto, quando conversavam fora da academia, o que não era muito constante, eles conversavam amigavelmente.

Já Camila, o tratava com ternura. De uma forma bem feminina, mas bem infantil também. Achava engraçado como ele ruboriza quando ela está por perto e quando passa a mão em suas costas. Somente quando estão os três e fora da academia. Lá dentro ela sequer olha para ele.
Tudo estava dentro dos parâmetros, quando entrou um aluno novo. Vladimir. Nada demais, porém, esse criou um certo mal estar em Reinaldo. Principalmente porque olhava muito para Tiago e para Camila. Isso desconcertou um pouco Reinaldo, pois suspeitava que pudesse perder seu posto. Principalmente porque Vladimir era esbelto, pouco gordura no corpo. Não era musculoso, porém, era bem definido. Reinaldo achava estranho como Vladimir olhava para Tiago. Parecia que o desejava. E ainda começou a conversar com Camila numa intimidade rapidamente adquirida. Pareciam amigos. Muitos repararam que aquele cara era muito branco, quase pálido, tinha um jeito meio efeminado, porém, não chegava a ser gay.

Páginas: 1 2 3