As máscaras Pb 82 - Cláudio Kaz
Cláudio Kaz
Cláudio Castro de Mendonça sempre teve a influência da música em sua vida. Sua mãe, uma amante da música e da cultura, sempre incentivou o contato do filho com a arte. Quando tinha 10 anos começou a fazer aula de violão e não deu sequência, aos 17 anos mais maduro e decidido voltou as aulas de violão, começou a cantar em corais e amadureceu como compositor. Seus ídolos e influentes foram Rock dos anos 80 com Legião Urbana, a banda internacional The Smiths e a nova geração da MPB como Zeca Baleiro nos anos 90.
Em 2001 começou sua carreira profissional tocando em bares da cidade. Logo em 2002 recebeu um convite para tocar contrabaixo na banda Racha Cuca que tocava hardcore. Com essa banda pode mostrar seu trabalho como compositor, tocando e cantando pela primeira vez uma musica de composição própria. Com a Racha Cuca, Cláudio participou do festival de bandas novas de Juiz de Foras- MG e o projeto cultual nossa música. Em 2003 Cláudio quis mudar seu estilo musical e formou uma banda de pop rock chamada Rota sul. Com ela tocou em eventos importantes da cidade como o projeto fome zero e participou de vários festivais e projetos culturais.
Em 2005, Cláudio realizou seu sonho que gravar seu primeiro disco. Com o nome artístico Klauss, lançou “A Porta” em um teatro lotado de amigos e fãs. O disco era uma mistura de pop rock com baladas românticas com influência nos anos 80. Klauss lançou esse disco totalmente autoral em parceria com a Discovery Music.
Em 2008 gravou seu segundo disco, seu primeiro trabalho pela Seven Music, selo da Universal Music. Este disco foi versões de alguns clássicos do pop rock dos anos 80 e de alguns anônimos esquecidos.
Em 2011, aos 30 anos, com o nome artístico de Cláudio Kaz, gravou “Sol da meia noite” Um disco que mistura o folk americano, brasileiro, irlandês com musica country e musica de raiz brasileira. Algumas músicas soando como Legião Urbana e The Smiths.
Formado em História pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em 2002 e em inglês na Abbey College em 2010, recentemente adquiriu o diploma de pos graduação em Gestão do Ensino Superior pela Faculdade Estácio de Sá. Morou na República da Irlanda em 2010. Lecionou inglês, foi membro da banda Vilarejo que faz tributo a banda mineira Skank. Sem medo de arriscar e mostrando em cada música seu amadurecimento pessoal e artístico, Cláudio continua trabalhando com música. Hoje como Educador Social na LBV.
Apesar de desde os 18 anos escrever poesias, desde de 2009 escreve contos. Seu projeto atual é a biografia do músico Joãozinho da Percussão. Possui textos publicados em 2 blogs.
E-mail: claudiokaz@bol.com.br
Facebook: facebook.com/claudiokaz






As máscaras Pb 82

            Próximo a rodoviária, o tempo começou a mudar. Uma chuva começava a cair e aos poucos foi aumentando. Fato que preocupou os dois pois temiam que isso atrapalhasse ou até mesmo eliminasse o experimento.

            Eram quatorze horas e trinta minutos quando desembarcaram do ônibus. Dali mesmo seguiram em direção ao Centro Espírita Flor do Amanhã. Local onde se faziam reuniões mediúnicas, experimentos parapsicológicos e também atendimentos homeopáticos. Local onde iriam encontrar o homem responsável pelo experimento.

            Ao chegarem foram diretamente para a biblioteca, como combinado, e perguntaram por Paulo a uma jovem morena de óculos com lentes bem grossas. A mesma, cordialmente foi chamar o colega que em poucos minutos compareceu com um simpático sorriso estampado no rosto. Emanuel encarou o atendente o proferiu a senha “Sou de Campos e vim buscar A vida no planeta marte e os discos voadores”. Instantaneamente Paulo tirou o sorriso do rosto e foi ao fundo da biblioteca em uma estante quase escondida e alguns segundos depois trouxe o livro. O entregou na mão de Emanuel e disse rapidamente “siga as instruções” e retirou-se.

            Do lado de fora da biblioteca os dois começaram a folhear o livro e acharam um papel na página oitenta e dois. Nele estava escrito: Comprar capas de chuva e água magnesiana. Trazer um copo. Me encontre as 16:15h na rua Marquês do Paraná. Não precisam me procurar. Eu encontro vocês.

            Raphael entrou para devolver o livro na biblioteca. Emanuel olhou o relógio e já eram mais de três da tarde e sentiu que deveriam correr com medo de não conseguirem chegar a tempo. Quanto Raphael retornou os dois partiram em direção ao local combinado. Porém, antes deveriam comprar os itens requisitados.

            No centro da cidade a chuva apertou. Os pingos começaram a cair com mais força e eles passaram a correr e acabaram entrando na loja de um amigo. Eletro Midani era uma loja especializada em equipamentos eletroeletrônicos do qual os dois sócios eram, além de clientes assíduos, amigos do proprietário Midani. Na verdade os dois nem queriam entrar na loja, pois nem queria quem alguém conhecido soubesse que eles estavam em Niterói. Entraram mesmo para protegerem-se da chuva, que naquele momento estava mais forte.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

Cláudio Kaz
As máscaras Pb 82

            Próximo a rodoviária, o tempo começou a mudar. Uma chuva começava a cair e aos poucos foi aumentando. Fato que preocupou os dois pois temiam que isso atrapalhasse ou até mesmo eliminasse o experimento.

            Eram quatorze horas e trinta minutos quando desembarcaram do ônibus. Dali mesmo seguiram em direção ao Centro Espírita Flor do Amanhã. Local onde se faziam reuniões mediúnicas, experimentos parapsicológicos e também atendimentos homeopáticos. Local onde iriam encontrar o homem responsável pelo experimento.

            Ao chegarem foram diretamente para a biblioteca, como combinado, e perguntaram por Paulo a uma jovem morena de óculos com lentes bem grossas. A mesma, cordialmente foi chamar o colega que em poucos minutos compareceu com um simpático sorriso estampado no rosto. Emanuel encarou o atendente o proferiu a senha “Sou de Campos e vim buscar A vida no planeta marte e os discos voadores”. Instantaneamente Paulo tirou o sorriso do rosto e foi ao fundo da biblioteca em uma estante quase escondida e alguns segundos depois trouxe o livro. O entregou na mão de Emanuel e disse rapidamente “siga as instruções” e retirou-se.

            Do lado de fora da biblioteca os dois começaram a folhear o livro e acharam um papel na página oitenta e dois. Nele estava escrito: Comprar capas de chuva e água magnesiana. Trazer um copo. Me encontre as 16:15h na rua Marquês do Paraná. Não precisam me procurar. Eu encontro vocês.

            Raphael entrou para devolver o livro na biblioteca. Emanuel olhou o relógio e já eram mais de três da tarde e sentiu que deveriam correr com medo de não conseguirem chegar a tempo. Quanto Raphael retornou os dois partiram em direção ao local combinado. Porém, antes deveriam comprar os itens requisitados.

            No centro da cidade a chuva apertou. Os pingos começaram a cair com mais força e eles passaram a correr e acabaram entrando na loja de um amigo. Eletro Midani era uma loja especializada em equipamentos eletroeletrônicos do qual os dois sócios eram, além de clientes assíduos, amigos do proprietário Midani. Na verdade os dois nem queriam entrar na loja, pois nem queria quem alguém conhecido soubesse que eles estavam em Niterói. Entraram mesmo para protegerem-se da chuva, que naquele momento estava mais forte.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11