Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Coffin Souza
Cesar “Coffin” Souza
Nasci em uma madrugada fria de junho de 1962. Continuo gostando de madrugadas e de frio.
Cresci com livros, filmes, gatos & quadrinhos. Queria ser Cientista, Desenhista, Escritor, Pintor, Diretor de Cinema, Ator... Faço um pouco de cada-tudo-junto-misturado. Batalhando como todos para sobreviver ao dia-a-dia, nas horas (poucas) vagas, escrevo, atuo, faço filmes, faço coisas. Orgulho de ter sido cúmplice com Baiestorf/Waslawick/Toniolli/Bortolanza/Jahnke da deliciosa demência chamada Canibal Filmes. Tenho dois blogs: She Demons Zine (shedemonszine.blogspot.com.br ) & Museu da Meia Noite (museudameianoite.blogspot.com.br ). Estou neles. E aqui. Em vários lugares. E em nenhum...
E-mail: coffinsouza@gmail.com






O EVANGELSTA DE SODOMA – Na Fogueira

-Se este é o rótulo que me colocam, fazer o que? Não optei em ser religioso ou ateu. A fé existe ou não. Quando digo que não tenho religião acham que eu sou louco ou imoral. Mas tenho uma visão humanista e me interesso por meus semelhantes. Não faço uma coisa boa por outra pessoa apenas porque algum mandamento de alguma crença me obriga. Não preciso temer alguma danação eterna, então de onde vem minha moralidade de ateu? Arrependo-me sim, de não ter lutado com mais convicção contra a hipocrisia e barbárie da principal inimiga do progresso moral da humanidade: a Religião! Matem-me, ou terão que me torturar por muito tempo e não vão me ouvir concordar com sua doutrina abominável… querem saber mais ?… vão… vão… SE FUDEERR!!!

Joguei minha cartada final e esperei ser serrado ao meio enquanto sentisse as chamas da fogueira inquiridora torrar a minha carne, pelo menos aquele martírio teria fim. Mas nada. Silêncio. Por muito tempo nada de vozes amplificadas.

-Sr………, é impossível calcular quanto dano moral, suas atitudes e idéias possam ter causado em meio ao nosso rebanho. Temos que silenciá-lo, mas és um tolo se achas que vamos matá-lo. Não queremos um ateu mártir e deste assunto bem sabes que temos bastante conhecimento. Lavagem cerebral não vai resolver, já que afirmastes e confirmamos ao sondar sua mente que és um ateu convicto até no fundo de seu ser. Espere pois por nosso julgo.

As horrendas luzes branco-leitosas diminuíram um pouco de intensidade e pude relaxar durante um tempo indeterminado, enquanto o meu caso estaria sendo examinado e discutido por sabe-se lá quem. Estes mesmos que devem ter me raptado em casa enquanto dormia, sedado, torturado e humilhado e por pouco não haviam conseguido dobrar. Logo eu, que nunca imaginei que tivesse alguma importância ou influência. Se ao menos eu fosse algum líder anti-religioso engajado na resistência ou tivesse algum cargo como o Ezequiel, por exemplo. Neste momento meu velho amigo veio a minha mente e fiquei imaginando se alguma coisa poderia ter acontecido com ele, já que eu havia sido pego.

-ATENÇÃO! ATENÇÃO! A Corte Eclesiástica do Tribunal do Novo Santo Ofício vai se promulgar!

Uma voz reverberou por todo o local, mas agora sem distorções, soando bastante natural. Uma voz conhecida, de alguém que eu havia falado a pouco tempo… ahhhhh… motorista traidor filho de uma puta!

-Senhor Eduardo Santos!

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9

Coffin Souza
O EVANGELSTA DE SODOMA – Na Fogueira

-Se este é o rótulo que me colocam, fazer o que? Não optei em ser religioso ou ateu. A fé existe ou não. Quando digo que não tenho religião acham que eu sou louco ou imoral. Mas tenho uma visão humanista e me interesso por meus semelhantes. Não faço uma coisa boa por outra pessoa apenas porque algum mandamento de alguma crença me obriga. Não preciso temer alguma danação eterna, então de onde vem minha moralidade de ateu? Arrependo-me sim, de não ter lutado com mais convicção contra a hipocrisia e barbárie da principal inimiga do progresso moral da humanidade: a Religião! Matem-me, ou terão que me torturar por muito tempo e não vão me ouvir concordar com sua doutrina abominável… querem saber mais ?… vão… vão… SE FUDEERR!!!

Joguei minha cartada final e esperei ser serrado ao meio enquanto sentisse as chamas da fogueira inquiridora torrar a minha carne, pelo menos aquele martírio teria fim. Mas nada. Silêncio. Por muito tempo nada de vozes amplificadas.

-Sr………, é impossível calcular quanto dano moral, suas atitudes e idéias possam ter causado em meio ao nosso rebanho. Temos que silenciá-lo, mas és um tolo se achas que vamos matá-lo. Não queremos um ateu mártir e deste assunto bem sabes que temos bastante conhecimento. Lavagem cerebral não vai resolver, já que afirmastes e confirmamos ao sondar sua mente que és um ateu convicto até no fundo de seu ser. Espere pois por nosso julgo.

As horrendas luzes branco-leitosas diminuíram um pouco de intensidade e pude relaxar durante um tempo indeterminado, enquanto o meu caso estaria sendo examinado e discutido por sabe-se lá quem. Estes mesmos que devem ter me raptado em casa enquanto dormia, sedado, torturado e humilhado e por pouco não haviam conseguido dobrar. Logo eu, que nunca imaginei que tivesse alguma importância ou influência. Se ao menos eu fosse algum líder anti-religioso engajado na resistência ou tivesse algum cargo como o Ezequiel, por exemplo. Neste momento meu velho amigo veio a minha mente e fiquei imaginando se alguma coisa poderia ter acontecido com ele, já que eu havia sido pego.

-ATENÇÃO! ATENÇÃO! A Corte Eclesiástica do Tribunal do Novo Santo Ofício vai se promulgar!

Uma voz reverberou por todo o local, mas agora sem distorções, soando bastante natural. Uma voz conhecida, de alguém que eu havia falado a pouco tempo… ahhhhh… motorista traidor filho de uma puta!

-Senhor Eduardo Santos!

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9