Compaixão - David Gomes
David Gomes
David Gomes. Meu nome, mas não sou eu. Quem sou fora das palavras? Uma máquina orgânica, complexa, lançada no mundo. Poeta, compositor, musicista repudiado, amante da Filosofia e maníaco das películas de horror. David é medo, desespero, ansiedade, questionamento, gargalhada e choro. Falar sobre um ser humano em construção é algo bastante complicado, posso fornecer sínteses, interpretações, mas somente eu saberei interiormente o que me constitui a cada segundo fracionado. Quem sabe até eu não saiba quem sou. A vida é o maior exemplo concreto de contradição do que se é viver.




Compaixão

Esquartejar corpos,
Do vivo ao mórbido,
Somos pragas imundas,
Rastejando na lama,
Querendo ser reconhecido de algum modo,
Cada mente um purgatório,
Queime no seu inferno,
Pois o meu já é desgastante,
Compaixão seres vivos,
Morram, matem, se acabem,
Compaixão? Existe?
Em que lugar?
Palavras, palavras…
Animais dementes,
De que vale a razão?
A linguagem?
Elas não nos salvam de nossa essência,
A compaixão… De destruir.

David Gomes
Compaixão

Esquartejar corpos,
Do vivo ao mórbido,
Somos pragas imundas,
Rastejando na lama,
Querendo ser reconhecido de algum modo,
Cada mente um purgatório,
Queime no seu inferno,
Pois o meu já é desgastante,
Compaixão seres vivos,
Morram, matem, se acabem,
Compaixão? Existe?
Em que lugar?
Palavras, palavras…
Animais dementes,
De que vale a razão?
A linguagem?
Elas não nos salvam de nossa essência,
A compaixão… De destruir.