Cores - David Gomes
David Gomes
David Gomes. Meu nome, mas não sou eu. Quem sou fora das palavras? Uma máquina orgânica, complexa, lançada no mundo. Poeta, compositor, musicista repudiado, amante da Filosofia e maníaco das películas de horror. David é medo, desespero, ansiedade, questionamento, gargalhada e choro. Falar sobre um ser humano em construção é algo bastante complicado, posso fornecer sínteses, interpretações, mas somente eu saberei interiormente o que me constitui a cada segundo fracionado. Quem sabe até eu não saiba quem sou. A vida é o maior exemplo concreto de contradição do que se é viver.




Cores

O que falar das cores? Se elas existem… Anterior, entre ou posterior a uma escala de cinza. A teoria científica explica por que o céu é azul, porém, a visão simplesmente é afetada, percebida, afastada de argumentações. Para quê questionar cores? Explicar cores? A coloração interna de algo seu pode ocultar a apreensão do outro, mas não de si mesmo. Só nos resta senti as cores, recusando a visão. Esta tarefa consiste na mais pura dificuldade. Enxergar o colorido sem auxílio do campo visual. Somente é sabido que cores existem, dentro e fora do corpo, talvez até além do universo. Forte ou quase apagada, necessitamos de cores. O que seria de nós sem sua presença? 

David Gomes
Cores

O que falar das cores? Se elas existem… Anterior, entre ou posterior a uma escala de cinza. A teoria científica explica por que o céu é azul, porém, a visão simplesmente é afetada, percebida, afastada de argumentações. Para quê questionar cores? Explicar cores? A coloração interna de algo seu pode ocultar a apreensão do outro, mas não de si mesmo. Só nos resta senti as cores, recusando a visão. Esta tarefa consiste na mais pura dificuldade. Enxergar o colorido sem auxílio do campo visual. Somente é sabido que cores existem, dentro e fora do corpo, talvez até além do universo. Forte ou quase apagada, necessitamos de cores. O que seria de nós sem sua presença?