Dois Urubus - David Gomes
David Gomes
David Gomes. Meu nome, mas não sou eu. Quem sou fora das palavras? Uma máquina orgânica, complexa, lançada no mundo. Poeta, compositor, musicista repudiado, amante da Filosofia e maníaco das películas de horror. David é medo, desespero, ansiedade, questionamento, gargalhada e choro. Falar sobre um ser humano em construção é algo bastante complicado, posso fornecer sínteses, interpretações, mas somente eu saberei interiormente o que me constitui a cada segundo fracionado. Quem sabe até eu não saiba quem sou. A vida é o maior exemplo concreto de contradição do que se é viver.




Dois Urubus

Voar o mais alto que puder
Dois urubus se contemplam
Brigam por carniça, se veem diferentes
Rasgando o céu, pairando solitário
Um urubu as vezes percebe a falta que faz outro pássaro
No voo da liberdade, já não faz mais sentido
Nem a brisa, mormaço ou carniça apodrecida
O sofrimento reflete que um precisa do outro
No lixão eles novamente se cruzam
Olhares opacos, desgastados
Apenas se entrelaçam, entre penas e lixo
Juntos podem dividir suas vidas, companhia, desafios
E até a carniça.

 

David Gomes
Dois Urubus

Voar o mais alto que puder
Dois urubus se contemplam
Brigam por carniça, se veem diferentes
Rasgando o céu, pairando solitário
Um urubu as vezes percebe a falta que faz outro pássaro
No voo da liberdade, já não faz mais sentido
Nem a brisa, mormaço ou carniça apodrecida
O sofrimento reflete que um precisa do outro
No lixão eles novamente se cruzam
Olhares opacos, desgastados
Apenas se entrelaçam, entre penas e lixo
Juntos podem dividir suas vidas, companhia, desafios
E até a carniça.