Fantasia Sedativa - David Gomes
David Gomes
David Gomes. Meu nome, mas não sou eu. Quem sou fora das palavras? Uma máquina orgânica, complexa, lançada no mundo. Poeta, compositor, musicista repudiado, amante da Filosofia e maníaco das películas de horror. David é medo, desespero, ansiedade, questionamento, gargalhada e choro. Falar sobre um ser humano em construção é algo bastante complicado, posso fornecer sínteses, interpretações, mas somente eu saberei interiormente o que me constitui a cada segundo fracionado. Quem sabe até eu não saiba quem sou. A vida é o maior exemplo concreto de contradição do que se é viver.




Fantasia Sedativa

Sedativos para nos velar
Raciocínio lento, um besouro morto
Rola-bosta, da bosta que somos
Merda de gado é mais fértil
Adubam arvores, derrubamos
Elas e nós mesmos
Dopar-se indica contestação
Realidade apresentada
Pavor do que é, não querer
Negar o real, na fantasia
Somos ilusões, contraditórias
Felicidade é reconhecer
Que somos vastos e rasos
água e óleo, misturados
Fusão atômica de elementos
Parasitas gigantes, lombrigas
Vermes, dicotomia
Tomo outro sedativo, penso no horror
Mas não me deprimo
Na rotação, enquanto verme
Dias alumiam-se, também escurecem
Da variação e escorrimento
Assegurado na ilusão do meu intelecto
Assim como, a apreensão do tempo
Compreendo sinteticamente
Faces óbvias, contingentes
Quanta ironia! Para meu pavor?
Anestesia!

David Gomes
Fantasia Sedativa

Sedativos para nos velar
Raciocínio lento, um besouro morto
Rola-bosta, da bosta que somos
Merda de gado é mais fértil
Adubam arvores, derrubamos
Elas e nós mesmos
Dopar-se indica contestação
Realidade apresentada
Pavor do que é, não querer
Negar o real, na fantasia
Somos ilusões, contraditórias
Felicidade é reconhecer
Que somos vastos e rasos
água e óleo, misturados
Fusão atômica de elementos
Parasitas gigantes, lombrigas
Vermes, dicotomia
Tomo outro sedativo, penso no horror
Mas não me deprimo
Na rotação, enquanto verme
Dias alumiam-se, também escurecem
Da variação e escorrimento
Assegurado na ilusão do meu intelecto
Assim como, a apreensão do tempo
Compreendo sinteticamente
Faces óbvias, contingentes
Quanta ironia! Para meu pavor?
Anestesia!