Palidez - David Gomes
David Gomes
David Gomes. Meu nome, mas não sou eu. Quem sou fora das palavras? Uma máquina orgânica, complexa, lançada no mundo. Poeta, compositor, musicista repudiado, amante da Filosofia e maníaco das películas de horror. David é medo, desespero, ansiedade, questionamento, gargalhada e choro. Falar sobre um ser humano em construção é algo bastante complicado, posso fornecer sínteses, interpretações, mas somente eu saberei interiormente o que me constitui a cada segundo fracionado. Quem sabe até eu não saiba quem sou. A vida é o maior exemplo concreto de contradição do que se é viver.




Palidez

A palidez não encontra-se no cenário, mas sim no inesperado. A biodiversidade causa estranheza realçada em sua matéria orgânica. O contraste das fases compostas em fluxos causa certo espanto. O que virá de nós? Pedaços de tormentos em formas do intelecto? Em meio a toda essa aporia existencial o sorriso prevalece. Mesmo sendo um riso roubado, os momentos nostálgicos, a paisagem, aflições. A palidez de algo morto que encontra-se vivo. 

David Gomes
Palidez

A palidez não encontra-se no cenário, mas sim no inesperado. A biodiversidade causa estranheza realçada em sua matéria orgânica. O contraste das fases compostas em fluxos causa certo espanto. O que virá de nós? Pedaços de tormentos em formas do intelecto? Em meio a toda essa aporia existencial o sorriso prevalece. Mesmo sendo um riso roubado, os momentos nostálgicos, a paisagem, aflições. A palidez de algo morto que encontra-se vivo.