Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
E. B. Toniolli
Sou um contador de histórias.
Desde que tenho consiência de minha existência conto histórias.
Sou péssimo com nomes e rostos e a vida das pessoas não me atrai, mas as suas histórias sim.
Cada dia uma nova história, com suas banalidades, com suas expectativas, frustrações, seus sonhos, medos...
Me agrada o caos presente na ordem e a ordem sistemática presente no caos.
E assim levo a vida: entre extremos de crenças e crença nenhuma, entre a criação do novo e a reciclagem do bem e do mau, do belo e do feio.
Entre os diversos meios de retratar a vida, de criar conceitos em empresa, de vender esperanças na harmonia das coisas e das pessoas.
E assim levo a vida, contando histórias.

E-mail: toniolli@gmail.com
Facebook: facebook.com/ebtoniolli




Chamas mortas

No longínquo espaço inabitado
Onde o sol toca o chão
Onde só habita a solidão
Onde o todo é imutado

Mãos erguem-se para o céu
Preces de vã emotividade
A praga de toda eternidade
Cobre a terra com negro véu.

A mortalha tingida de sangue
Impurezas nos seres dementes
Os deuses estão ausentes
Pois a morte de seus corpos exangue

A salvação foi sepultada
Sete palmos de terra sobre a esperança
Deixando aniquilada alva criança
Aspirando o odor de carne cremada.

Um monte perpétuo de rochedos
Impregnado de brutal solidão
Plantando em cada coração
A semente de todos os medos.

 

E. B. Toniolli
Chamas mortas

No longínquo espaço inabitado
Onde o sol toca o chão
Onde só habita a solidão
Onde o todo é imutado

Mãos erguem-se para o céu
Preces de vã emotividade
A praga de toda eternidade
Cobre a terra com negro véu.

A mortalha tingida de sangue
Impurezas nos seres dementes
Os deuses estão ausentes
Pois a morte de seus corpos exangue

A salvação foi sepultada
Sete palmos de terra sobre a esperança
Deixando aniquilada alva criança
Aspirando o odor de carne cremada.

Um monte perpétuo de rochedos
Impregnado de brutal solidão
Plantando em cada coração
A semente de todos os medos.