Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
E. B. Toniolli
Sou um contador de histórias.
Desde que tenho consiência de minha existência conto histórias.
Sou péssimo com nomes e rostos e a vida das pessoas não me atrai, mas as suas histórias sim.
Cada dia uma nova história, com suas banalidades, com suas expectativas, frustrações, seus sonhos, medos...
Me agrada o caos presente na ordem e a ordem sistemática presente no caos.
E assim levo a vida: entre extremos de crenças e crença nenhuma, entre a criação do novo e a reciclagem do bem e do mau, do belo e do feio.
Entre os diversos meios de retratar a vida, de criar conceitos em empresa, de vender esperanças na harmonia das coisas e das pessoas.
E assim levo a vida, contando histórias.

E-mail: toniolli@gmail.com
Facebook: facebook.com/ebtoniolli




Lá atrás daquele morro

Lá atrás daquele morro tem um pé de maçã, e acredite, são as maçãs mais suculentas e saborosas que já existiram. Todo ano eu volto aqui para desfrutar desse néctar dos deuses, como faço desde o começo, desde o dia em que estava aqui com minha amada Jocasta, namorando e olhando o pôr do sol. Dividimos uma maçã juntos, dentada a dentada, misturando nossa saliva na maçã e em nossas bocas, e em nossos corpos. Ao final, antes de ir embora, plantamos uma semente, que daria os frutos de nosso amor.

Mas o mundo é cruel e minha amada Jocasta morreu pouco tempo depois. Cego pela insanidade da perda, retirei seu coração e plantei ao lado da pequena macieira. O efeito foi surreal e em minutos a primeira maçã estava madura. Comi com sofreguidão em meio ao pranto de saudades. Assim como fiz hoje com o coração da minha amada Tereza e o ano passado com o coração da minha amada Sofia, e da Juliana, da Carla, da Joana, da Rubia, da Silvane, da Carol, da Roberta, da Melissa, da Clara, da Eduarda, da Heloísa, da Bianca, da Helena, da Emanuelle, da Rebeca, da Carolina, da Maria Fernanda, da Lavínia, da Fernanda, da Ana Carolina, da Pietra, da Emily Laís, da Milena, da Maria, da Esther, da Bruna, da Catarina, da Maria Júlia, da Luana, da Ana Laura, da Lorena, da Camila, da Susana, da Cecília, da Alícia, da Elisa, da Mirella, da Mari, da Vitória, da Bárbara, da Agatha, da Marcela, da Ana, da Evely, da Isabel, da Joana, da Thais…

 

E. B. Toniolli
Lá atrás daquele morro

Lá atrás daquele morro tem um pé de maçã, e acredite, são as maçãs mais suculentas e saborosas que já existiram. Todo ano eu volto aqui para desfrutar desse néctar dos deuses, como faço desde o começo, desde o dia em que estava aqui com minha amada Jocasta, namorando e olhando o pôr do sol. Dividimos uma maçã juntos, dentada a dentada, misturando nossa saliva na maçã e em nossas bocas, e em nossos corpos. Ao final, antes de ir embora, plantamos uma semente, que daria os frutos de nosso amor.

Mas o mundo é cruel e minha amada Jocasta morreu pouco tempo depois. Cego pela insanidade da perda, retirei seu coração e plantei ao lado da pequena macieira. O efeito foi surreal e em minutos a primeira maçã estava madura. Comi com sofreguidão em meio ao pranto de saudades. Assim como fiz hoje com o coração da minha amada Tereza e o ano passado com o coração da minha amada Sofia, e da Juliana, da Carla, da Joana, da Rubia, da Silvane, da Carol, da Roberta, da Melissa, da Clara, da Eduarda, da Heloísa, da Bianca, da Helena, da Emanuelle, da Rebeca, da Carolina, da Maria Fernanda, da Lavínia, da Fernanda, da Ana Carolina, da Pietra, da Emily Laís, da Milena, da Maria, da Esther, da Bruna, da Catarina, da Maria Júlia, da Luana, da Ana Laura, da Lorena, da Camila, da Susana, da Cecília, da Alícia, da Elisa, da Mirella, da Mari, da Vitória, da Bárbara, da Agatha, da Marcela, da Ana, da Evely, da Isabel, da Joana, da Thais…