Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Fabiano Soares
Formado em jornalismo, detesta jornalismo. Escrito assim em terceira pessoa parece melhor para uma minibiografia. Fabiano tenta se dedicar a muitas coisas, levando-se pela paixão das diversas formas de artes: música, textos, filmes. E é nessa esquizofrenia de interesses, onde tenta dedicar-se um pouco a cada coisa que acaba como um jornalista: sabendo nada de muita coisa. Não sabe fazer música, não sabe escrever textos e não sabe fazer filmes. Mas tenta fazer tudo isso e segue, literalmente, amador. É isso mesmo que ele quer. Apaixonado também por temas sombrios e por uma sombria vontade de avacalhar temas sombrios, não consegue fazer nada sério, portanto, não criem expectativas. Divirtam-se, ou não.
E-mail: fabianocabeludo@yahoo.com.br
Facebook: facebook.com/fabiano. cabeludosoares






Efeito borboleta

I – SHOW COM AS BANDAS NIRVANA, SILVERCHAIR, SYSTEM OF A DOWN, SLIPKNOT, KORN E MUITO MAIS!

Assim dizia o flyer do show de rock, com alguns nomes pequenos entre parênteses, que indicavam tratar-se de bandas cover. Daniela não conhecia muitas bandas, mas achava interessante o visual dos roqueiros. Aos 17 anos, precisava encaixar-se em uma tribo, e sabia que queria ir nesse show.

– Vai ter Nirvana!

Letícia, sua melhor amiga, desconfiou:

– Você nem conhece Nirvana, garota… Mas aposto que o Marcelo vai, né…

Daniela estava experimentando uma saia de renda preta que comprou especialmente para a ocasião: um tecido preto, mole e confortável, revestido por um filó, igualmente preto, esvoaçante, que lhe passava a sensação de ser uma bruxa. Pensava na sensualidade e no poder das feiticeiras, e estava completamente absorta olhando-se no espelho; tanto que nem respondeu ao comentário maldoso da amiga.

– Vou pra esse show poderosa!

II – Rock com vinho vagabundo

Adolescentes bêbados, garotos suados batendo cabeça e covers dignos de pena no palco. Não era tão bacana quanto Daniela imaginava, mas a noite ainda podia ser salva: Marcelo estava lá. Sempre com a mesma camisa do Motörhead, o garoto conversava com amigos, segurando uma lata de cerveja na mão – um símbolo de maturidade, já que aos 19 anos não pega bem ficar só bebendo vinho vagabundo.

Daniela ficou disfarçadamente observando o garoto, esperando o momento certo para se aproximar. Teve que dispensar diversos jovens (meninos e meninas), meio bêbados (ou fingindo-se de), que chegavam querendo ficar com ela. Não podia ser vista pelo crush beijando outra pessoa, ou ficaria tudo mais difícil para concretizar seu plano.

Páginas: 1 2 3 4

Fabiano Soares
Efeito borboleta

I – SHOW COM AS BANDAS NIRVANA, SILVERCHAIR, SYSTEM OF A DOWN, SLIPKNOT, KORN E MUITO MAIS!

Assim dizia o flyer do show de rock, com alguns nomes pequenos entre parênteses, que indicavam tratar-se de bandas cover. Daniela não conhecia muitas bandas, mas achava interessante o visual dos roqueiros. Aos 17 anos, precisava encaixar-se em uma tribo, e sabia que queria ir nesse show.

– Vai ter Nirvana!

Letícia, sua melhor amiga, desconfiou:

– Você nem conhece Nirvana, garota… Mas aposto que o Marcelo vai, né…

Daniela estava experimentando uma saia de renda preta que comprou especialmente para a ocasião: um tecido preto, mole e confortável, revestido por um filó, igualmente preto, esvoaçante, que lhe passava a sensação de ser uma bruxa. Pensava na sensualidade e no poder das feiticeiras, e estava completamente absorta olhando-se no espelho; tanto que nem respondeu ao comentário maldoso da amiga.

– Vou pra esse show poderosa!

II – Rock com vinho vagabundo

Adolescentes bêbados, garotos suados batendo cabeça e covers dignos de pena no palco. Não era tão bacana quanto Daniela imaginava, mas a noite ainda podia ser salva: Marcelo estava lá. Sempre com a mesma camisa do Motörhead, o garoto conversava com amigos, segurando uma lata de cerveja na mão – um símbolo de maturidade, já que aos 19 anos não pega bem ficar só bebendo vinho vagabundo.

Daniela ficou disfarçadamente observando o garoto, esperando o momento certo para se aproximar. Teve que dispensar diversos jovens (meninos e meninas), meio bêbados (ou fingindo-se de), que chegavam querendo ficar com ela. Não podia ser vista pelo crush beijando outra pessoa, ou ficaria tudo mais difícil para concretizar seu plano.

Páginas: 1 2 3 4