Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Flávio Assumpção
Eu escrevo desde 2007. Trabalho com contos de terror e ficção científica. Fui influenciado por Lautreamont, Marquês de Sade, Philip K. Dick, Robert Anton Wilson, Willian Burroughs, Augusto dos Anjos, Hakim Bey, Alan Moore, Clive Barker, entre outros. Quando não estou sob a influência dos demônios do caos, costumo trabalhar como psicólogo clínico na cidade de São Paulo.





Viking

Centenas de corpos espalhados pelo chão frio
Um rio de sangue se mistura com a lama úmida do solo.
Amigos, irmãos, filhos, pais, sobrinhos…
Todos mortos agora. Lutamos lado a lado.
Ombro a ombro, unidos lutamos como um só.
Fomos heróis lutando pela glória de nosso povo e por nossa terra.
Os trovões de Thor ecoam no céu.
Vejo a carruagem de fogo de Odin.
Valquírias guerreiras descem dos céus para buscar as almas de meus soldados.
Para levá-los aos salões dourados do Valhalla.
Onde beberão nos rios de mel e se alimentarão com as mais saborosas ambrosias.

Agora, resto apenas eu.
O último homem de meu exército de corajosos.
E por Asgard lutarei até a minha última gota de suor.
Pelo martelo de Thor  e pela espada de Tyr eu juro!
Que levarei comigo muitos de meus inimigos.
Nem a minha morte e a de meus irmãos será em vão.
Nuvens negras anunciam a tempestade que cairá logo mais.
O vento bate em meu rosto tocando minhas cicatrizes de batalha.
Lembro-me de minha esposa e de meus filhos que agora estão distantes.
Estou longe de casa, em terras desconhecidas.
Gostaria de lhes dar um último adeus e um último beijo.
Queria poder me aquecer nos braços de minha esposa de pele clara e cabelos vermelhos.
Vermelhos como o fogo que nos aquecia a noite enquanto fazíamos amor.
Não verei meus filhos brincar mais e não os verei crescer.
Não ensinarei meu filho a lutar e ser um guerreiro como eu.
Jamais terei a honra de lutar ao lado de meu menino.
Hoje lutarei até o fim!
Nunca me renderei!

Páginas: 1 2 3 4 5

Centenas de corpos espalhados pelo chão frio
Um rio de sangue se mistura com a lama úmida do solo.
Amigos, irmãos, filhos, pais, sobrinhos…
Todos mortos agora. Lutamos lado a lado.
Ombro a ombro, unidos lutamos como um só.
Fomos heróis lutando pela glória de nosso povo e por nossa terra.
Os trovões de Thor ecoam no céu.
Vejo a carruagem de fogo de Odin.
Valquírias guerreiras descem dos céus para buscar as almas de meus soldados.
Para levá-los aos salões dourados do Valhalla.
Onde beberão nos rios de mel e se alimentarão com as mais saborosas ambrosias.

Agora, resto apenas eu.
O último homem de meu exército de corajosos.
E por Asgard lutarei até a minha última gota de suor.
Pelo martelo de Thor  e pela espada de Tyr eu juro!
Que levarei comigo muitos de meus inimigos.
Nem a minha morte e a de meus irmãos será em vão.
Nuvens negras anunciam a tempestade que cairá logo mais.
O vento bate em meu rosto tocando minhas cicatrizes de batalha.
Lembro-me de minha esposa e de meus filhos que agora estão distantes.
Estou longe de casa, em terras desconhecidas.
Gostaria de lhes dar um último adeus e um último beijo.
Queria poder me aquecer nos braços de minha esposa de pele clara e cabelos vermelhos.
Vermelhos como o fogo que nos aquecia a noite enquanto fazíamos amor.
Não verei meus filhos brincar mais e não os verei crescer.
Não ensinarei meu filho a lutar e ser um guerreiro como eu.
Jamais terei a honra de lutar ao lado de meu menino.
Hoje lutarei até o fim!
Nunca me renderei!

Páginas: 1 2 3 4 5