Dinheiro Maldito - Gerson Machado De Avillez
Gerson Machado De Avillez
Fotógrafo, autor nas horas vagas, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da Síndrome de Aspeger com superdotação (Qi 163), trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), UBE (União Brasileira de Escritores) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Arte do Terror, Mirage, Primeiro Capítulo, Conexão Literatura, Creepypasta Brasil assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e 'Inominável do Além' (2018) selecionado como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 25 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco).

E-mail: gersonavillez46@hotmail.com
Site: gersonavillez.jimdo.com





Dinheiro Maldito

Tudo pelo motivo de que naquele dia o empreiteiro relacionado a empresa de construção que superfaturava obras estava arrependido. Segundo ele o montante ganho de forma ilícita havia sido oferecido num ritual maligno ao lado dos políticos envolvidos, incluindo o senador Vilson Barbacena. Um sujeito pego em gravações flagrantes, não somente negociando propinas como ameaçando supostas testemunhas do caso.

O ritual era singelo. Um enorme pentagrama com uma cabeça de bode decepada, enquanto no meio de desenho que se estendia pelo chão era morta uma galinha preta que esguichando seu sangue para todo lado o lançou sobre as notas em questão, recém tiradas do banco. 100.000,00 reais em notas de 50. Invocando entidades inomináveis as mentes sãs, o homem jurou que o dinheiro oferecido em louvor as entidades iriam dar prosperidade, mas ao receber parte do dinheiro, o empreiteiro, na mesma semana, descobriu que estava com câncer, para no dia seguinte sua filha morrer num assalto provocado pelo mesmo viciado desesperado que deixou o dinheiro no chão da rua.

O ocaso que moveu o acaso, levou a sucessão de encontros e desencontros que acarretou naquela sequência de infortúnios em desventurosa coincidência, pois o empreiteiro era sobrinho da senhora que morreu infartada com a nota.

Ando muito preocupado onde foram parar as demais notas de 50.

 

Páginas: 1 2 3 4

Gerson Machado De Avillez
Dinheiro Maldito

Tudo pelo motivo de que naquele dia o empreiteiro relacionado a empresa de construção que superfaturava obras estava arrependido. Segundo ele o montante ganho de forma ilícita havia sido oferecido num ritual maligno ao lado dos políticos envolvidos, incluindo o senador Vilson Barbacena. Um sujeito pego em gravações flagrantes, não somente negociando propinas como ameaçando supostas testemunhas do caso.

O ritual era singelo. Um enorme pentagrama com uma cabeça de bode decepada, enquanto no meio de desenho que se estendia pelo chão era morta uma galinha preta que esguichando seu sangue para todo lado o lançou sobre as notas em questão, recém tiradas do banco. 100.000,00 reais em notas de 50. Invocando entidades inomináveis as mentes sãs, o homem jurou que o dinheiro oferecido em louvor as entidades iriam dar prosperidade, mas ao receber parte do dinheiro, o empreiteiro, na mesma semana, descobriu que estava com câncer, para no dia seguinte sua filha morrer num assalto provocado pelo mesmo viciado desesperado que deixou o dinheiro no chão da rua.

O ocaso que moveu o acaso, levou a sucessão de encontros e desencontros que acarretou naquela sequência de infortúnios em desventurosa coincidência, pois o empreiteiro era sobrinho da senhora que morreu infartada com a nota.

Ando muito preocupado onde foram parar as demais notas de 50.

 

Páginas: 1 2 3 4