Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Gerson Machado De Avillez
Vendedor de ideias e traficante de placebos. Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).
E-mail: gersonavillez46@hotmail.com
Site: gersonavillez.jimdo.com





Echochronos – Parte 1

Um Padre levanta-se enquanto um pingente similar ao visto pela mulher balança de um lado a outro como um ponteiro de relógio preso. O sujeito veste sua batina e se dirige ao espelho. Tendo uma curta barba parece com alguma vaidade se arrumar num quarto semi-escuro quando houve um ruído. Ele para e olha para trás sem nada ver e achando ter sido apenas um engano de sua própria mente prossegue, quando se abaixa para pegar a bíblia nota algo estranho. Ele se vira e então ao se olhar no espelho polido em ferro levemente tendo sua imagem torcida vê sua própria imagem não somente torcida, mas como se sua barba estivesse crescendo, e matizada de branco o fez ficar assustado quando ao olhar para sua mão vê suas unhas crescerem tão repentinamente que seus olhos ao se arregalaram em medo cai ao chão derrubando o espelho.

Passos entram apressado nas luxuosas salas da Santa Sé, no Vaticano. O homem decido parece nervoso como se estivesse não somente procurando alguém, mas fugindo de algo, quando seus passos param e ele fala – Bispo Helder Zanini?

O jovem maduro levanta seu rosto de um livro e apenas responde com o olhar direto para ele enquanto fecha o livro revelando o título “Tratactus Ad Tempus”.

– Temos um caso que talvez seja de interesse inteiramente do senhor. – respondeu o jovem curvando-se em reverência, com sua batina branca não combinando apenas com seu cabelo preto. – Não sabemos do que se trata, mas recebi ordens diretas do Papa para lhe encomendar este caso com a maior objetivadade possível.

O homem então abriu uma pasta com escritos a pena parecia trazer a descrição do caso ocorrido com um dos homens conhecido de Helder. O padre que morreu em circunstancias surpreendentemente misteriosas.

Ao chegar no local, um abrigo não longe dali, Helder passou pela guarda do Vaticano entrando no quarto e encontrando o corpo daquele seu então conhecido transfigurado de um modo que jamais concebeu.

Alguns homens parecia levantarem as mãos para os céus em quase desespero pela cena que se configurava no local, o homem disposto com o rosto completamente envelhecido, sua barba branca e crescida enquanto uma das mãos tendo enormes unhas e suas carnes ressecadas como se tivesse passado longos anos na clausura de algum monastério sob votos exagerados de solidão casta.

– Pensávamos não se tratar do irmão Wallace, mas tudo que carrega e as semelhanças o denunciam. – falou um dos guardas. – Nunca vi nada parecido, creio ser algum tipo de possessão que desconhecemos.

– Preciso que saiam deste lugar – respondeu apenas Helder.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7

Gerson Machado De Avillez
Echochronos – Parte 1

Um Padre levanta-se enquanto um pingente similar ao visto pela mulher balança de um lado a outro como um ponteiro de relógio preso. O sujeito veste sua batina e se dirige ao espelho. Tendo uma curta barba parece com alguma vaidade se arrumar num quarto semi-escuro quando houve um ruído. Ele para e olha para trás sem nada ver e achando ter sido apenas um engano de sua própria mente prossegue, quando se abaixa para pegar a bíblia nota algo estranho. Ele se vira e então ao se olhar no espelho polido em ferro levemente tendo sua imagem torcida vê sua própria imagem não somente torcida, mas como se sua barba estivesse crescendo, e matizada de branco o fez ficar assustado quando ao olhar para sua mão vê suas unhas crescerem tão repentinamente que seus olhos ao se arregalaram em medo cai ao chão derrubando o espelho.

Passos entram apressado nas luxuosas salas da Santa Sé, no Vaticano. O homem decido parece nervoso como se estivesse não somente procurando alguém, mas fugindo de algo, quando seus passos param e ele fala – Bispo Helder Zanini?

O jovem maduro levanta seu rosto de um livro e apenas responde com o olhar direto para ele enquanto fecha o livro revelando o título “Tratactus Ad Tempus”.

– Temos um caso que talvez seja de interesse inteiramente do senhor. – respondeu o jovem curvando-se em reverência, com sua batina branca não combinando apenas com seu cabelo preto. – Não sabemos do que se trata, mas recebi ordens diretas do Papa para lhe encomendar este caso com a maior objetivadade possível.

O homem então abriu uma pasta com escritos a pena parecia trazer a descrição do caso ocorrido com um dos homens conhecido de Helder. O padre que morreu em circunstancias surpreendentemente misteriosas.

Ao chegar no local, um abrigo não longe dali, Helder passou pela guarda do Vaticano entrando no quarto e encontrando o corpo daquele seu então conhecido transfigurado de um modo que jamais concebeu.

Alguns homens parecia levantarem as mãos para os céus em quase desespero pela cena que se configurava no local, o homem disposto com o rosto completamente envelhecido, sua barba branca e crescida enquanto uma das mãos tendo enormes unhas e suas carnes ressecadas como se tivesse passado longos anos na clausura de algum monastério sob votos exagerados de solidão casta.

– Pensávamos não se tratar do irmão Wallace, mas tudo que carrega e as semelhanças o denunciam. – falou um dos guardas. – Nunca vi nada parecido, creio ser algum tipo de possessão que desconhecemos.

– Preciso que saiam deste lugar – respondeu apenas Helder.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7