Jogo da Dominação - Gerson Machado De Avillez
Gerson Machado De Avillez
Fotógrafo, autor nas horas vagas, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da Síndrome de Aspeger com superdotação (Qi 163), trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), UBE (União Brasileira de Escritores) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Arte do Terror, Mirage, Primeiro Capítulo, Conexão Literatura, Creepypasta Brasil assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e 'Inominável do Além' (2018) selecionado como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 25 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco).

E-mail: gersonavillez46@hotmail.com
Site: gersonavillez.jimdo.com





Jogo da Dominação

Fosse o que fosse aquele era o final do jogo ainda que a mensagem parecesse exprimir um censo de ironia tenebrosa ao jogador que havia vencido, um de seus programadores que parecia conhecer apenas parte da verdade para no final por algum motivo literalmente liquefazer seu cérebro. Nakamura inclinou-se sobre o corpo sem compreender os motivos que levaram ao suicídio quando então as luzes piscaram e novamente anunciou os dois visitantes como os novos vencedores. Norbet e Nakamura apenas se entre olharam perplexos quando então surgiu uma projeção holográfica que projetava o que parecia uma versão digital de Álvaro. O homem sorriu para eles, fintando-os diretamente, como se seus olhos fossem de carne e disse.

— Bem-vindos! Vocês foram escolhidos os novos vencedores da maratona global.

— O que ganhamos com isso?

— Uma nova vida! — Respondeu ele dando de ombros. — Uma nova consciência.

Nakamura permaneceu ainda sem compreender e permaneceu em silêncio sem saber o que responder até que ele prosseguiu dizendo.

— Ponha suas mãos no identificador biométrico, por favor, para liberar as informações.

Hesitante Nakamura fintou seu parceiro, mas sem saber como proceder assim fez até que cortou o silêncio que se seguiu dizendo.

— Por qual motivo o vencedor original se matou?

— Não suportou a verdade. — Respondeu Álvaro.

— Como assim? — Indagou Norbet enquanto Nakamura guardava a arma para mexer no equipamento.

— Algumas pessoas não aceitam o destino que lhes aguardavam, o destino que eu criei, levando ele a matar-se numa tentativa de matar-me. Mas o destino do grande bloco de gelo já fora quebrado e aquele que deveria me servir não me fará mal. Queria mudar o destino desse mundo, mas sozinho não era capaz, precisava da ajuda de todos, todos os usuários do jogo, como mudar o curso do leito de um rio. Agora, o vencedor será eleito…

Páginas: 1 2 3 4

Gerson Machado De Avillez
Jogo da Dominação

Fosse o que fosse aquele era o final do jogo ainda que a mensagem parecesse exprimir um censo de ironia tenebrosa ao jogador que havia vencido, um de seus programadores que parecia conhecer apenas parte da verdade para no final por algum motivo literalmente liquefazer seu cérebro. Nakamura inclinou-se sobre o corpo sem compreender os motivos que levaram ao suicídio quando então as luzes piscaram e novamente anunciou os dois visitantes como os novos vencedores. Norbet e Nakamura apenas se entre olharam perplexos quando então surgiu uma projeção holográfica que projetava o que parecia uma versão digital de Álvaro. O homem sorriu para eles, fintando-os diretamente, como se seus olhos fossem de carne e disse.

— Bem-vindos! Vocês foram escolhidos os novos vencedores da maratona global.

— O que ganhamos com isso?

— Uma nova vida! — Respondeu ele dando de ombros. — Uma nova consciência.

Nakamura permaneceu ainda sem compreender e permaneceu em silêncio sem saber o que responder até que ele prosseguiu dizendo.

— Ponha suas mãos no identificador biométrico, por favor, para liberar as informações.

Hesitante Nakamura fintou seu parceiro, mas sem saber como proceder assim fez até que cortou o silêncio que se seguiu dizendo.

— Por qual motivo o vencedor original se matou?

— Não suportou a verdade. — Respondeu Álvaro.

— Como assim? — Indagou Norbet enquanto Nakamura guardava a arma para mexer no equipamento.

— Algumas pessoas não aceitam o destino que lhes aguardavam, o destino que eu criei, levando ele a matar-se numa tentativa de matar-me. Mas o destino do grande bloco de gelo já fora quebrado e aquele que deveria me servir não me fará mal. Queria mudar o destino desse mundo, mas sozinho não era capaz, precisava da ajuda de todos, todos os usuários do jogo, como mudar o curso do leito de um rio. Agora, o vencedor será eleito…

Páginas: 1 2 3 4