O Primeiro Seth (Parte 3 de 3) - Gerson Machado De Avillez
Gerson Machado De Avillez
Vendedor de ideias e traficante de placebos. Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).
E-mail: gersonavillez46@hotmail.com
Site: gersonavillez.jimdo.com





O Primeiro Seth (Parte 3 de 3)

Os aplausos foram enormes, pois aqueles cuja linhagem antes desconhecida, libertaram a humanidade da mentira ao conceberem um conhecimento a ampliar a visão para outras dimensões. Apocon mostrou o pergaminho original diretamente da missão temporal feita por Dominic ao passado em ligação continua com o futuro. A origem dos primeiros antes de serem lançados pelo ostracismo, mas não ao destino que corriam em suas veias por gerações, ainda que perseguidos e quase destruídos. E assim continuou Apocon, olhando para a enorme tela holográfica que agora mostrava a biblioteca de Alexandria em chamas e enquanto as sondas que filmavam diretamente do passado mostravam aquelas imagens de lástimas a um momento negro da humanidade. Naquele momento uma voz de mulher começou a narrar os acontecimentos quando todos viram o rosto de Naum na tela emocionado ao contemplar a sonda.

— Estes bravos heróis antigos tentaram proteger o conhecimento e a verdade ainda que uma ordem obscura de inimigos do conhecimento e da verdade, tentaram possuir o manuscrito o ocultando e tirando sua origem para benefício exclusivo e tentando destruir o nome do autor para se atribuírem a autoria. Fora justamente seguindo as pistas da palavra Filoversismo como síntese as dimensões que a nós preexistem que chegamos aos sabotares de nosso conhecimento e linha. Uma palavra sem origem aparente na etimologia, mas que sendo notada no passado indicou uma discrepância na linguagem que fomenta a teoria de interferência temporal, o termo Filoversismo fora criado apenas no século XXI, porém seu feedback rompeu o tempo ao passado de alguma forma, fazendo perder sua autoria deliberadamente. Quem sussurrou tal palavra nos ouvidos dos homens de negro? Designium. O milenar adversário da humanidade assim como de toda origem e verdade.

Todos aplaudiram lançado fogos e confetes de papel que desciam para todos os lados enquanto agora a tela mudou para imagens em close do manuscrito. E a voz continua a falar.

— Enquanto estamos neste momento impedindo os homens de negro revelamos aqui a verdade em seu dia, dia 25 de julho. Todos os importantes livros e raridades foram catalogados e gravados por nós durante 100 madrugadas. Assim mostramos nós a origem e o fim de um dos maiores polos culturais do mundo perante sua eternificação. A História finalmente torna-se ciência empírica e os manuscritos do tempo estão sendo reunidos a compreender este fantástico mosaico que cruza a eternidade. Já possuímos quase todas as peças deste quebra-cabeça e mesmo que os pilares de seth não tivessem em Siriad, já conhecemos quem é o autor deste livro principal de nossa mitologia.

Páginas: 1 2 3 4 5 6

Gerson Machado De Avillez
O Primeiro Seth (Parte 3 de 3)

Os aplausos foram enormes, pois aqueles cuja linhagem antes desconhecida, libertaram a humanidade da mentira ao conceberem um conhecimento a ampliar a visão para outras dimensões. Apocon mostrou o pergaminho original diretamente da missão temporal feita por Dominic ao passado em ligação continua com o futuro. A origem dos primeiros antes de serem lançados pelo ostracismo, mas não ao destino que corriam em suas veias por gerações, ainda que perseguidos e quase destruídos. E assim continuou Apocon, olhando para a enorme tela holográfica que agora mostrava a biblioteca de Alexandria em chamas e enquanto as sondas que filmavam diretamente do passado mostravam aquelas imagens de lástimas a um momento negro da humanidade. Naquele momento uma voz de mulher começou a narrar os acontecimentos quando todos viram o rosto de Naum na tela emocionado ao contemplar a sonda.

— Estes bravos heróis antigos tentaram proteger o conhecimento e a verdade ainda que uma ordem obscura de inimigos do conhecimento e da verdade, tentaram possuir o manuscrito o ocultando e tirando sua origem para benefício exclusivo e tentando destruir o nome do autor para se atribuírem a autoria. Fora justamente seguindo as pistas da palavra Filoversismo como síntese as dimensões que a nós preexistem que chegamos aos sabotares de nosso conhecimento e linha. Uma palavra sem origem aparente na etimologia, mas que sendo notada no passado indicou uma discrepância na linguagem que fomenta a teoria de interferência temporal, o termo Filoversismo fora criado apenas no século XXI, porém seu feedback rompeu o tempo ao passado de alguma forma, fazendo perder sua autoria deliberadamente. Quem sussurrou tal palavra nos ouvidos dos homens de negro? Designium. O milenar adversário da humanidade assim como de toda origem e verdade.

Todos aplaudiram lançado fogos e confetes de papel que desciam para todos os lados enquanto agora a tela mudou para imagens em close do manuscrito. E a voz continua a falar.

— Enquanto estamos neste momento impedindo os homens de negro revelamos aqui a verdade em seu dia, dia 25 de julho. Todos os importantes livros e raridades foram catalogados e gravados por nós durante 100 madrugadas. Assim mostramos nós a origem e o fim de um dos maiores polos culturais do mundo perante sua eternificação. A História finalmente torna-se ciência empírica e os manuscritos do tempo estão sendo reunidos a compreender este fantástico mosaico que cruza a eternidade. Já possuímos quase todas as peças deste quebra-cabeça e mesmo que os pilares de seth não tivessem em Siriad, já conhecemos quem é o autor deste livro principal de nossa mitologia.

Páginas: 1 2 3 4 5 6