O Primeiro Seth - parte II - Gerson Machado De Avillez
Gerson Machado De Avillez
Vendedor de ideias e traficante de placebos. Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).
E-mail: gersonavillez46@hotmail.com
Site: gersonavillez.jimdo.com





O Primeiro Seth – parte II

Leia a primeira parte aqui: http://maldohorror.com.br/gerson-machado-de-avillez/o-primeiro-seth/

 

Intrigado com as ideias ali colocadas ficou sem compreender ao certo o que significava ainda que parecesse estranhamente fazer sentido o que era dito no livro. Procurou ele então o autor e viu o nome que dizia Wang. Incomum a língua e cultura o qual adveio pensou ele se tratar de alguma transcrição posterior do original e cujo título falava na realidade do escriba que o fez.

Cansado das longas horas em que se debruçou diante dos livros, Naum tendo suas pálpebras já pesando em seu rosto, resolveu encerrar suas buscas e leituras do mesmo manuscrito até o dia seguinte, quando ouviu ruídos do outro lado da estante onde guardava os livros. As horas eram avançadas e temendo ser algum rato que lá adentrou pegou seu candelabro e seguiu a passos velozes até o lugar de onde via o som quando viu o reflexo de uma luz âmbar assim como a que vira na noite anterior. A luz seguiu por dentro da biblioteca e de tão intensa parecia turvar mesmo as formas pelo qual iluminava. Porém, tão súbito quando surgiu desapareceu ante seus olhos o deixando com mais perguntas ainda. Assim ele passou pela guarda de segurança sem saber o que relatar ou falar quando não resistindo resolveu perguntar aos homens lá presentes se viram alguma luz com tais descrições, tendo a negativa por respostas.

Certamente se fosse algum desvario de uma mente cansada, uma noite de sono resolveria o que ele achou ter visto, pensou consigo, de modo que entrou em seus aposentos e ao deitar-se rapidamente suas perguntas deram lugar ao sono.

No dia seguinte a movimentação era intensa no saguão principal da biblioteca que se estendia com seus altos tetos por muitos metros até encontrar corredores não menos extensos até outras salas menores. O ancião que era o instrutor de Naum caminhava ao lado de dois outros bibliotecários quando viu Naum aproximar-se.

— Coloque setuaginto no setor de cristianismo, e altere as especificações para registrar para onde fora movido. – disse o ancião para o bibliotecário tendo o aceno de concordância do jovem e assim o ancião virou-se para Naum e com um sorriso lhe perguntou – Então meu jovem como está a leitura do Primeiro Seth.

— Tem conhecimentos que simplesmente nunca soube ou ouvi falar, e a autoria aparentemente é discrepante com a cultura o qual pertence. – respondeu Naum.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7

Gerson Machado De Avillez
O Primeiro Seth – parte II

Leia a primeira parte aqui: http://maldohorror.com.br/gerson-machado-de-avillez/o-primeiro-seth/

 

Intrigado com as ideias ali colocadas ficou sem compreender ao certo o que significava ainda que parecesse estranhamente fazer sentido o que era dito no livro. Procurou ele então o autor e viu o nome que dizia Wang. Incomum a língua e cultura o qual adveio pensou ele se tratar de alguma transcrição posterior do original e cujo título falava na realidade do escriba que o fez.

Cansado das longas horas em que se debruçou diante dos livros, Naum tendo suas pálpebras já pesando em seu rosto, resolveu encerrar suas buscas e leituras do mesmo manuscrito até o dia seguinte, quando ouviu ruídos do outro lado da estante onde guardava os livros. As horas eram avançadas e temendo ser algum rato que lá adentrou pegou seu candelabro e seguiu a passos velozes até o lugar de onde via o som quando viu o reflexo de uma luz âmbar assim como a que vira na noite anterior. A luz seguiu por dentro da biblioteca e de tão intensa parecia turvar mesmo as formas pelo qual iluminava. Porém, tão súbito quando surgiu desapareceu ante seus olhos o deixando com mais perguntas ainda. Assim ele passou pela guarda de segurança sem saber o que relatar ou falar quando não resistindo resolveu perguntar aos homens lá presentes se viram alguma luz com tais descrições, tendo a negativa por respostas.

Certamente se fosse algum desvario de uma mente cansada, uma noite de sono resolveria o que ele achou ter visto, pensou consigo, de modo que entrou em seus aposentos e ao deitar-se rapidamente suas perguntas deram lugar ao sono.

No dia seguinte a movimentação era intensa no saguão principal da biblioteca que se estendia com seus altos tetos por muitos metros até encontrar corredores não menos extensos até outras salas menores. O ancião que era o instrutor de Naum caminhava ao lado de dois outros bibliotecários quando viu Naum aproximar-se.

— Coloque setuaginto no setor de cristianismo, e altere as especificações para registrar para onde fora movido. – disse o ancião para o bibliotecário tendo o aceno de concordância do jovem e assim o ancião virou-se para Naum e com um sorriso lhe perguntou – Então meu jovem como está a leitura do Primeiro Seth.

— Tem conhecimentos que simplesmente nunca soube ou ouvi falar, e a autoria aparentemente é discrepante com a cultura o qual pertence. – respondeu Naum.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7