A Carta - Golden Barbie
Golden Barbie
Louca, maluca, insana e perturbada. Sem nenhum pingo de lucidez.
Um labirinto sem fim...
Um enigma onde muitos insistem em querer desvendar...
Vivendo a complexidade dos meus dias onde, embriago-me para viver e sobreviver em guerra constante entre a realidade e a fantasia.
Devorando os lobos que surgem em minha caminhada.
Mantendo-me sempre uma alfa.
Escrevo para aliviar os agonizantes gritos das vozes que moram em minha cabeça, o universo e suas frustrações "cagadas" me inspiram a rabiscar folhas e mais folhas de papel.
Mantenha-se longe! "Ou arrancarei suas tripas e as cozinharei". 





A Carta

Querida Mary..

Meu coração balbucia voraz, pois tamanha é minha saudade. Penso que escrever-te, torna-me próximo a ti.

Lágrimas inundam esta carta, em verdade lhes digo, o amor traz a ignorância ao mais sábio dos homens…

Tornando-o frágil e pequeno.

 Sei que deve estar se sentindo sozinha e confusa, em breve lhe trarei companhia.  Irias me deixar, tive que fazê-lo. Não me julgues amor, sou eu que durmo sobre o vosso caixão todos os dias… peço-lhe querida, que deixe-se levar… deixe-se levar…

Ouça o som da gadanha sobre o chão a delinear… a morte veio lhe arrebentar.

Deixe-se levar… não relute! Que o ar faça-se ausente em seus pulmões, pare de murmurar… ou os vizinhos começarão a suspeitar…

Com amor, Luí.

Golden Barbie
A Carta

Querida Mary..

Meu coração balbucia voraz, pois tamanha é minha saudade. Penso que escrever-te, torna-me próximo a ti.

Lágrimas inundam esta carta, em verdade lhes digo, o amor traz a ignorância ao mais sábio dos homens…

Tornando-o frágil e pequeno.

 Sei que deve estar se sentindo sozinha e confusa, em breve lhe trarei companhia.  Irias me deixar, tive que fazê-lo. Não me julgues amor, sou eu que durmo sobre o vosso caixão todos os dias… peço-lhe querida, que deixe-se levar… deixe-se levar…

Ouça o som da gadanha sobre o chão a delinear… a morte veio lhe arrebentar.

Deixe-se levar… não relute! Que o ar faça-se ausente em seus pulmões, pare de murmurar… ou os vizinhos começarão a suspeitar…

Com amor, Luí.