Última Badalada - Golden Barbie
Golden Barbie
Louca, maluca, insana e perturbada. Sem nenhum pingo de lucidez.
Um labirinto sem fim...
Um enigma onde muitos insistem em querer desvendar...
Vivendo a complexidade dos meus dias onde, embriago-me para viver e sobreviver em guerra constante entre a realidade e a fantasia.
Devorando os lobos que surgem em minha caminhada.
Mantendo-me sempre uma alfa.
Escrevo para aliviar os agonizantes gritos das vozes que moram em minha cabeça, o universo e suas frustrações "cagadas" me inspiram a rabiscar folhas e mais folhas de papel.
Mantenha-se longe! "Ou arrancarei suas tripas e as cozinharei". 





Última Badalada

Eu, nunca mais vou beber!

Disse, Alicia prostituída.

Vomitava até a alma naquela noite que lhe deixou marcas, hematomas

Seu corpo a enfeitava;

Serpente arroxeada.

Ele a espancara no banheiro da balada:

Mas que macho escroto!

A bela, alta e esbelta pensara.

Debruçada sobre o arbusto de beira de estrada,

Seus dentes rangiam assaltada por lembranças de horas atrás… 

De seu ventre fora sugado o resto de aborto do mês passado.

Não, não pode ser…

– Aprende a chupar buceta, viado!

Golden Barbie
Última Badalada

Eu, nunca mais vou beber!

Disse, Alicia prostituída.

Vomitava até a alma naquela noite que lhe deixou marcas, hematomas

Seu corpo a enfeitava;

Serpente arroxeada.

Ele a espancara no banheiro da balada:

Mas que macho escroto!

A bela, alta e esbelta pensara.

Debruçada sobre o arbusto de beira de estrada,

Seus dentes rangiam assaltada por lembranças de horas atrás… 

De seu ventre fora sugado o resto de aborto do mês passado.

Não, não pode ser…

– Aprende a chupar buceta, viado!