Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Guaraci Nanferdes Merlhieg
Decapito a cabeça antes de começar a escrever e de capítulo em capítulo capitulo com Diógenes em meus genes, assim como Catulo -o da paixão cearense!, versos destilo, textos, testículos, por vezes fartos, de fato ridílicos; por vezes versículos, não tão raro: de estilo! Gesticulo e mesmo com o cu circunEscrevo; ensejo a esmo o que seria a síntese de meu desejo... O que sonharia com isso, quanto afinal ao final tudo isso pesaria, qual seria meu compr´omisso? Arriscaria declarar que em real idade escrevo primeiramente com um fósforo para a sós, só então, em decúbito dorsal em combustão com efusiva efusão, como um chá escuro em um sabbath preto; em rebuliça ebulição e com a volição no cúmulo do exício... -aliadas aliás às atuais eternais infernais conjecturas, contando com tantos ditadores em eterno exercício!- Dizer-lhes ia e ainda que ao desdizer-lhes: caso o acaso não for a única matéria realmente possível, de me dedicar sobremaneira, ao que me dedico; ou não for a última maneira verdadeiramente palpável de se estar encarnado se encarando num estado minimamente estável ou socialmente aceitável... Seriamos seriamente somente seriados vistos, deitados em algum sôfrego sofá reclinável, com preguiça descaso ; como mísseis teleguiados, com descuido e desgosto degustados; verdes olivas azeitáveis, por algum desse milhares de semi deuses de uma dessas milhares de religiões que por séculos, em seus raboSentados por regiões registradas sob os mais diversos cep´s dos mais longínquos rincões; tem nos assistido; nos consumido; segurando seguros os controles de nossas remotas vidas e visões... Tendo isto dito, medito sobre e sob tais circunstÂnsias lhes proponho; sobre a mesa ponho: estes escritos que edito!





A grande orquestra de mentira do governo do fim do mundo

Serei ser ei sereio?, o mais breve, objetivo, reto e informal, talvez sereiaté pouco imparcial ou demasiado espacial; quanto se possa a um ser se ser… Tratarei inclusive, como um bônus ao ônus de escrever, de tratarser o mais infiel ou tratante ao editor contratante naquilo que o texto tenha de mais contrastante. Tratarei não obstante de um tema distante; de um tema delicado, que se mescla entre o destino grosso e o intestino delgado, contudo concluo em conluio: Não temas!, pois tal tema é apenas tema nenhum…

Este testículo pequeno e ignoto, quase escrito num arroto, escorre da boca de um lobo moribundo até a boca de lobo do esgoto mais próximo, mais profundo, e tem a mesma função de um terço sendo roçado numa terça feira santa, girado nas mãos de um cristão fervoroso, ou mesmo a de um revólver calibre 38 com seu tambor pleno de balas girando lustroso, nas mãos de um ladrão pavoroso; ou a d’um pum bem alto, risonho, cortante, cheiroso, gostoso e reconfortante…

O seja, enseja só servir para nos aliviar da pressão que a realidade nos exerce, em nós nos excede;e tão somente; por alguns breves instantes…

Com tudo isso, doravante, sugiro fortemente que pendurem suas razões nas respectivas seções dos cabides,suas chuteiras chutem para alguma região onde realidade e verdade, não coincidem; algum lugar onde o fantástico reside -ou qualquer coisa que o não valha- mais próximos, e deixem-se levar por seu/meu/nossos fluxos de inconsciência…Uma vez que este percorrerá/perfurará seu corpo da superfície da superficialidade da pele pela carne;músculos; veias; fibras; tendões; tecidos, cegando até aos nossos ossos…

 

Páginas: 1 2 3

Guaraci Nanferdes Merlhieg
A grande orquestra de mentira do governo do fim do mundo

Serei ser ei sereio?, o mais breve, objetivo, reto e informal, talvez sereiaté pouco imparcial ou demasiado espacial; quanto se possa a um ser se ser… Tratarei inclusive, como um bônus ao ônus de escrever, de tratarser o mais infiel ou tratante ao editor contratante naquilo que o texto tenha de mais contrastante. Tratarei não obstante de um tema distante; de um tema delicado, que se mescla entre o destino grosso e o intestino delgado, contudo concluo em conluio: Não temas!, pois tal tema é apenas tema nenhum…

Este testículo pequeno e ignoto, quase escrito num arroto, escorre da boca de um lobo moribundo até a boca de lobo do esgoto mais próximo, mais profundo, e tem a mesma função de um terço sendo roçado numa terça feira santa, girado nas mãos de um cristão fervoroso, ou mesmo a de um revólver calibre 38 com seu tambor pleno de balas girando lustroso, nas mãos de um ladrão pavoroso; ou a d’um pum bem alto, risonho, cortante, cheiroso, gostoso e reconfortante…

O seja, enseja só servir para nos aliviar da pressão que a realidade nos exerce, em nós nos excede;e tão somente; por alguns breves instantes…

Com tudo isso, doravante, sugiro fortemente que pendurem suas razões nas respectivas seções dos cabides,suas chuteiras chutem para alguma região onde realidade e verdade, não coincidem; algum lugar onde o fantástico reside -ou qualquer coisa que o não valha- mais próximos, e deixem-se levar por seu/meu/nossos fluxos de inconsciência…Uma vez que este percorrerá/perfurará seu corpo da superfície da superficialidade da pele pela carne;músculos; veias; fibras; tendões; tecidos, cegando até aos nossos ossos…

 

Páginas: 1 2 3