Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Hügo Mendigo
Em 1984, ao pseudo fim da ditadura no Brasil, na cidadezinha rural de Gravataí nascia mais um Mendigo, o Hügo. Parece um clichê dizer "escrever para não enlouquecer" mas foi sim sua psicóloga que recomendou os registros turvos de sua vida. Visões urbanas e alcoolizadas, mulheres e teorias da conspiração povoam esses manuscritos virtuais, sempre assinados como Nadal Goulart. Metalúrgico, pai e um monte de outras coisas que não precisam ser ditas por que ninguem perguntou.





A noite perfumada

A uns 6 anos conheci ela
E a amiga dela que virou minha amiga também
Depois de uns tempos fiquei sendo eu o amiguinho delas
Eu pegava as duas e nós 3 estávamos felizes com isso
Fizemos até uma brincadeira a 3 e foi bem legal
Passou um tempo
Cada um seguiu suas relações e a vida seguiu
Idas e vindas, conversamos algumas vezes e seguido falamos de nos ver
E nunca acontecia
Até em uma sexta à noite
Uma noite fresca no final do verão
Depois de tanto marcar conseguimos nos ver
Os 3 sentados num degrau em uma pedra
Quase sentados os 3 ao chão
Bebemos e nos atualizamos das vidas uns dos outros
Uma estava claramente desconfortável de estar na rua, ali
Mesmo estando entre amigos ela estava nervosa
Claramente uma crise de ansiedade ali se continha
Chegou mais um amigo e ela ficou mais tranquila depois de falar com ele e beber uns copos de cerveja
Foi mais a conversa com a outra
Ela estava sentada ao meu lado
Cheirosa como sempre
Mas bem cheirosa
Não era um perfume enjoativo e doce, mas era um odor bem firme e agradável
Falamos de filhos e das poucas saídas que os 2 vinham dando nos últimos tempos
Dois seres ilhados em casa bebendo e vendo tv com algumas poucas saídas
Cada vez que ela me passava o copo vinha o perfume junto
Era como se a cada gole daquele copo viesse junto parte da aura perfumada dela e me desse um beijo
Nossa
Aquilo foi me hipnotizando ao longo da noite

Páginas: 1 2 3 4 5

Hügo Mendigo
A noite perfumada

A uns 6 anos conheci ela
E a amiga dela que virou minha amiga também
Depois de uns tempos fiquei sendo eu o amiguinho delas
Eu pegava as duas e nós 3 estávamos felizes com isso
Fizemos até uma brincadeira a 3 e foi bem legal
Passou um tempo
Cada um seguiu suas relações e a vida seguiu
Idas e vindas, conversamos algumas vezes e seguido falamos de nos ver
E nunca acontecia
Até em uma sexta à noite
Uma noite fresca no final do verão
Depois de tanto marcar conseguimos nos ver
Os 3 sentados num degrau em uma pedra
Quase sentados os 3 ao chão
Bebemos e nos atualizamos das vidas uns dos outros
Uma estava claramente desconfortável de estar na rua, ali
Mesmo estando entre amigos ela estava nervosa
Claramente uma crise de ansiedade ali se continha
Chegou mais um amigo e ela ficou mais tranquila depois de falar com ele e beber uns copos de cerveja
Foi mais a conversa com a outra
Ela estava sentada ao meu lado
Cheirosa como sempre
Mas bem cheirosa
Não era um perfume enjoativo e doce, mas era um odor bem firme e agradável
Falamos de filhos e das poucas saídas que os 2 vinham dando nos últimos tempos
Dois seres ilhados em casa bebendo e vendo tv com algumas poucas saídas
Cada vez que ela me passava o copo vinha o perfume junto
Era como se a cada gole daquele copo viesse junto parte da aura perfumada dela e me desse um beijo
Nossa
Aquilo foi me hipnotizando ao longo da noite

Páginas: 1 2 3 4 5