Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Hügo Mendigo
Em 1984, ao pseudo fim da ditadura no Brasil, na cidadezinha rural de Gravataí nascia mais um Mendigo, o Hügo. Parece um clichê dizer "escrever para não enlouquecer" mas foi sim sua psicóloga que recomendou os registros turvos de sua vida. Visões urbanas e alcoolizadas, mulheres e teorias da conspiração povoam esses manuscritos virtuais, sempre assinados como Nadal Goulart. Metalúrgico, pai e um monte de outras coisas que não precisam ser ditas por que ninguem perguntou.





Adolescência… a minha

Tudo era bem diferente
Minha vida me encaminharia p um futuro bem diferente se tivesse seguido conforme meus pais me desejavam
Filho único
Super mimado
Mesmo na pobreza extrema mimado
Usei fraldas até os 5 anos
Chupei bico (ou chupeta, tanto faz) até os 8 anos
Tomei meu leite com achocolatado na mamadeira até os 10 anos (porque era de vidro e se quebrou)
Mas ao mesmo tempo q isso tudo acontecia
Aprendi a ler rápido porque era curioso
Aprendi a ler, cozinhar (coisas básicas) e a costurar na mesma época
Aos 9 minha mãe foi trabalhar e eu fiquei em casa com minha avó
Hoje vejo q praticamente eu cuidava dela e não o contrário, mas não reclamo, nos dávamos super bem apesar dos mimos virem apenas por parte da minha mãe
Dela vinha um frieza tão honesta q me ensina coisas até hoje, 22 anos depois dessa época e 2 depois da morte dela
Tenho poucas memorias junto com meu pai
Lembro q ele ou estava trabalhando ou dormindo bêbado em casa, a tarde toda
…ao menos dormindo ele não enchia o saco com perguntas idiota…
Poucas vezes eu apanhei
Meus primos e meus amigos com minha idade apanhavam sistematicamente
Meus castigos eram mais psicológicos do q físicos
Não menos horríveis, mas como no geral eu era uma criança bem tonta e boba, não tinha porque ser castigado
Meu prazer era montar e desmontar pecinhas de plástico na frente da TV ligada
Sim, porque houve uma época em q a TV brasileira se lembrava q existiam crianças em casa e não apenas donas de casa mal comidas vendo talk shows

Páginas: 1 2 3 4 5

Hügo Mendigo
Adolescência… a minha

Tudo era bem diferente
Minha vida me encaminharia p um futuro bem diferente se tivesse seguido conforme meus pais me desejavam
Filho único
Super mimado
Mesmo na pobreza extrema mimado
Usei fraldas até os 5 anos
Chupei bico (ou chupeta, tanto faz) até os 8 anos
Tomei meu leite com achocolatado na mamadeira até os 10 anos (porque era de vidro e se quebrou)
Mas ao mesmo tempo q isso tudo acontecia
Aprendi a ler rápido porque era curioso
Aprendi a ler, cozinhar (coisas básicas) e a costurar na mesma época
Aos 9 minha mãe foi trabalhar e eu fiquei em casa com minha avó
Hoje vejo q praticamente eu cuidava dela e não o contrário, mas não reclamo, nos dávamos super bem apesar dos mimos virem apenas por parte da minha mãe
Dela vinha um frieza tão honesta q me ensina coisas até hoje, 22 anos depois dessa época e 2 depois da morte dela
Tenho poucas memorias junto com meu pai
Lembro q ele ou estava trabalhando ou dormindo bêbado em casa, a tarde toda
…ao menos dormindo ele não enchia o saco com perguntas idiota…
Poucas vezes eu apanhei
Meus primos e meus amigos com minha idade apanhavam sistematicamente
Meus castigos eram mais psicológicos do q físicos
Não menos horríveis, mas como no geral eu era uma criança bem tonta e boba, não tinha porque ser castigado
Meu prazer era montar e desmontar pecinhas de plástico na frente da TV ligada
Sim, porque houve uma época em q a TV brasileira se lembrava q existiam crianças em casa e não apenas donas de casa mal comidas vendo talk shows

Páginas: 1 2 3 4 5