Sonhos - Hugo Mendigo
Hügo Mendigo
Em 1984, ao pseudo fim da ditadura no Brasil, na cidadezinha rural de Gravataí nascia mais um Mendigo, o Hügo. Parece um clichê dizer "escrever para não enlouquecer" mas foi sim sua psicóloga que recomendou os registros turvos de sua vida. Visões urbanas e alcoolizadas, mulheres e teorias da conspiração povoam esses manuscritos virtuais, sempre assinados como Nadal Goulart. Metalúrgico, pai e um monte de outras coisas que não precisam ser ditas por que ninguem perguntou.





Sonhos

A rua era de terra e era larga

Não me parecia familiar mas era bem bom estar ali

Sentia falta do meu ruivo perto mas com certeza ele deveria estar no banco se trás, perto de mim

Será q mais uma família está por vir?

Será q ainda tenho força p isso?

Espero q tenha se me surgir mais uma pela frente

Gosto dela demais, tanto q durmo ao lado dela e sonho com ela ainda mais presa a mim

Não acredito q nada seja eterno, nem a paz, nem a guerra

Mas espero q seja bom enquanto dure

E q dure!

Páginas: 1 2

Hügo Mendigo
Sonhos

A rua era de terra e era larga

Não me parecia familiar mas era bem bom estar ali

Sentia falta do meu ruivo perto mas com certeza ele deveria estar no banco se trás, perto de mim

Será q mais uma família está por vir?

Será q ainda tenho força p isso?

Espero q tenha se me surgir mais uma pela frente

Gosto dela demais, tanto q durmo ao lado dela e sonho com ela ainda mais presa a mim

Não acredito q nada seja eterno, nem a paz, nem a guerra

Mas espero q seja bom enquanto dure

E q dure!

Páginas: 1 2