Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Ivandro Godoy
Nascido em São Paulo/SP num belo dia nublado do ano de 1974.
Escritor, colunista, fotógrafo, subversivo, libertino e um porra-louca sem noção do perigo.
Escrevo desde os tempos dos fanzines de papel e cola branca e minha única religião é o gênero horror.
Iniciei minha saga em 1997 com o fanzine Vrolok e desde então não parei mais de explorar o lado negro da literatura. No meio literário já participei das antologias Asgard: A Sagas dos Nove Reinos, Le Monde Bizarre: O Circo dos Horrores e Green Death: Ecoterrorismo Licantrópico.





A triste sorte de Ezequiel Moraes

*CLICK* Encontrado estranho animal nas florestas da áfrica Central. De acordo com as testemunhas era um mamífero quadrúpede revestido de escamas e com as patas dianteiras de leão e as traseiras de ave. A cabeça era de réptil como uma cobra ou lagarto e a língua, bifurcada…

*CLICK* O zoólogo e professor de História Natural T. Anderson e o explorador Paul Sladen descobriram um animal não catalogado na história da zoologia. Os nativos da área o chamam de “Olitau”; um réptil voador de coloração preta e dentes serrilhados como os de um crocodilo. Voava baixo e numa rapidez espantosa…

O dedo indicador de Ezequiel apertava nervosamente o botão do mouse e uma diversidade de imagens banhavam o rosto daquele velho homem, refletindo vez por outra a tela do computador nas lentes dos seus óculos, que teimavam em escorregar pelo nariz redondo e suado.

*CLICK* Avistado animal estranho nas encostas alpinas da Suíça, da Baviera e da Áustria. Os habitantes o conhecem por “Tatzelwurm”. Media cerca de sessenta a noventa centímetros de comprimento…*CLICK* … de trinta anos foi avistado animal semelhante, de sessenta centímetros a um metro. Fusiforme e alongado… -“Eu sei que você está envolvido nisso. Eu sei”! – Ezequiel Moraes era um velho arqueólogo que há vinte anos tenta provar para a humanidade o impossível. A veracidade sobre a existência do livro-pai dos livros. O legendário Necronomicon.

*CLICK* … queda de pedaços de carne em Kentucky – 1876… *CLICK*…chuva de sangue em Granada – 1944… *CLICK*…pela noite que durou dois dias no México – Cuauhtitlan… *CLICK* *CLICK* *CLICK* *CLICK*… E as imagens banharam a face carrancuda de Ezequiel por toda a madrugada.

A manhã chegara e o sol esquentava a nuca do velho, que dormia debruçado na escrivaninha do escritório. Ao acordar, Ezequiel prepara-se para tomar o seu freqüente desjejum: um cigarro meio torto que dividiu com ele a fatídica noite e um copo de café frio.

Acendeu. Deu uma tragada. Baforou-a. “Sapos de duas cabeças no Kansas/aranhas aladas em New Yorkshire/ chuva de peixes no Saara…” – Onde está você, seu filho da puta!!!

Resolveu sair. Andando pela rua tinha o vício de escutar a conversa dos demais, preguiçosos em suas caminhadas pela manhã matutina e fria de outubro.

Páginas: 1 2 3 4

Ivandro Godoy
A triste sorte de Ezequiel Moraes

*CLICK* Encontrado estranho animal nas florestas da áfrica Central. De acordo com as testemunhas era um mamífero quadrúpede revestido de escamas e com as patas dianteiras de leão e as traseiras de ave. A cabeça era de réptil como uma cobra ou lagarto e a língua, bifurcada…

*CLICK* O zoólogo e professor de História Natural T. Anderson e o explorador Paul Sladen descobriram um animal não catalogado na história da zoologia. Os nativos da área o chamam de “Olitau”; um réptil voador de coloração preta e dentes serrilhados como os de um crocodilo. Voava baixo e numa rapidez espantosa…

O dedo indicador de Ezequiel apertava nervosamente o botão do mouse e uma diversidade de imagens banhavam o rosto daquele velho homem, refletindo vez por outra a tela do computador nas lentes dos seus óculos, que teimavam em escorregar pelo nariz redondo e suado.

*CLICK* Avistado animal estranho nas encostas alpinas da Suíça, da Baviera e da Áustria. Os habitantes o conhecem por “Tatzelwurm”. Media cerca de sessenta a noventa centímetros de comprimento…*CLICK* … de trinta anos foi avistado animal semelhante, de sessenta centímetros a um metro. Fusiforme e alongado… -“Eu sei que você está envolvido nisso. Eu sei”! – Ezequiel Moraes era um velho arqueólogo que há vinte anos tenta provar para a humanidade o impossível. A veracidade sobre a existência do livro-pai dos livros. O legendário Necronomicon.

*CLICK* … queda de pedaços de carne em Kentucky – 1876… *CLICK*…chuva de sangue em Granada – 1944… *CLICK*…pela noite que durou dois dias no México – Cuauhtitlan… *CLICK* *CLICK* *CLICK* *CLICK*… E as imagens banharam a face carrancuda de Ezequiel por toda a madrugada.

A manhã chegara e o sol esquentava a nuca do velho, que dormia debruçado na escrivaninha do escritório. Ao acordar, Ezequiel prepara-se para tomar o seu freqüente desjejum: um cigarro meio torto que dividiu com ele a fatídica noite e um copo de café frio.

Acendeu. Deu uma tragada. Baforou-a. “Sapos de duas cabeças no Kansas/aranhas aladas em New Yorkshire/ chuva de peixes no Saara…” – Onde está você, seu filho da puta!!!

Resolveu sair. Andando pela rua tinha o vício de escutar a conversa dos demais, preguiçosos em suas caminhadas pela manhã matutina e fria de outubro.

Páginas: 1 2 3 4