Carne de Carnaval - J. A. de Nardo
J. A. de Nardo
João decidiu dar vida aos seus mórbidos pesadelos e compartilhar feitos e devaneios nada memoráveis com o público. 
O medo, o estranho e o cotidiano banal são as suas inspirações para a escrita. Escreve como uma forma de canalizar seus sentimentos, da forma mais clichê possível. 
Se perde em pensamento abstratos e overdoses filosóficas, crê que o horror é um universo a ser explorado, e o pavor é o sentimento mais puro a ser sentido. Se perde também em alguns pseudônimos para poder escrever o que há de mais bizarro em si, não gosta muito de mostrar o rosto para não perturbar os leitores, usa máscaras como referência ao baile de máscaras do plano físico. 
Diretor da Revista Aterrorizante e autor de algumas obras em conjunto e originais nada comuns, sempre terror com doses de perturbação e humor negro.
Sua conquista mais memorável foi um concurso de poesias quando tinha 10 anos, desde então vem colecionando fracassos e insucessos. Muitas vezes confundido com um demônio sem função na terra, transita entre funções aleatórias, como um traficante de inutilidades ou vendedor de ideias natimortas. 
Email: Jaoanm@gmail.com 
Instagram: @joaodenardo






Carne de Carnaval

Carnaval. Essa é a data do ano em que as pessoas saem do interior para as cidades maiores em busca de festa, de grandes diversões. E foi assim com Nicolas, sai da sua pequena cidade com seu próprio carro para chegar ao município vizinho onde teria algumas atrações que chamaram sua atenção.

Um show de seu cantor predileto foi o motivo de gastar dinheiro com gasolina e hotel. Seriam apenas alguns dias para passar, mas iriam ser férias que valeriam a pena.

Nic já havia adiantado seu aluguel, aproveitou o tempo de recesso na faculdade para aproveitar a folia que o carnaval proporciona. Já havia planejado tudo, no primeiro dia iria a pequenos blocos que iriam percorrer as ruas da cidade, na noite ele aproveitaria alguns shows gratuitos e quem sabe não conseguiria sair da sua seca de beijos, ele não era de ir em festas e coisas assim porém decidiu que seria diferente nesse Carnaval.

As ruas estavam repletas de pessoas, inúmeras fantasias e muito glitter estava no ar. A música tocava alto e todos ali dançavam conforme o ritmo, seguiam felizes pelas ruas enquanto o tempo passava. Nicolas usava uma roupa com estampa floral, e não fez nada além de beber um pouco. Tentou ser sociável e conversas com alguns estranhos que pareciam também de fora da cidade, porém os que ele tentou não foram nada receptivos, o fazendo desistir e continuar ali sozinho.

A noite chegou, a lua estava imensa no céu, acompanhada de inúmeras estrelas que iluminavam toda a rua. O festival estava prestes a começar e Nic estava solitário, apenas ele e seu copo vazio, não achou um conhecido sequer e chegou a aceitou que passaria o Carnaval apenas curtindo os sons que tocavam.

O show tão esperado por Nic finalmente começou, era um artista independente do nordeste, ninguém ali deveria conhecer, ele foi o primeiro a cantar, abrindo o show para os mais famosos cantores. Nicolas ficou pulando o show todo, sabia todas as músicas decoradas. Os outros que ali estavam apenas olhavam e acompanhavam com a cabeça o ritmo, apenas Nic estava cantando tudo, assim uma garota passou a observar o rapaz.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7

J. A. de Nardo
Carne de Carnaval

Carnaval. Essa é a data do ano em que as pessoas saem do interior para as cidades maiores em busca de festa, de grandes diversões. E foi assim com Nicolas, sai da sua pequena cidade com seu próprio carro para chegar ao município vizinho onde teria algumas atrações que chamaram sua atenção.

Um show de seu cantor predileto foi o motivo de gastar dinheiro com gasolina e hotel. Seriam apenas alguns dias para passar, mas iriam ser férias que valeriam a pena.

Nic já havia adiantado seu aluguel, aproveitou o tempo de recesso na faculdade para aproveitar a folia que o carnaval proporciona. Já havia planejado tudo, no primeiro dia iria a pequenos blocos que iriam percorrer as ruas da cidade, na noite ele aproveitaria alguns shows gratuitos e quem sabe não conseguiria sair da sua seca de beijos, ele não era de ir em festas e coisas assim porém decidiu que seria diferente nesse Carnaval.

As ruas estavam repletas de pessoas, inúmeras fantasias e muito glitter estava no ar. A música tocava alto e todos ali dançavam conforme o ritmo, seguiam felizes pelas ruas enquanto o tempo passava. Nicolas usava uma roupa com estampa floral, e não fez nada além de beber um pouco. Tentou ser sociável e conversas com alguns estranhos que pareciam também de fora da cidade, porém os que ele tentou não foram nada receptivos, o fazendo desistir e continuar ali sozinho.

A noite chegou, a lua estava imensa no céu, acompanhada de inúmeras estrelas que iluminavam toda a rua. O festival estava prestes a começar e Nic estava solitário, apenas ele e seu copo vazio, não achou um conhecido sequer e chegou a aceitou que passaria o Carnaval apenas curtindo os sons que tocavam.

O show tão esperado por Nic finalmente começou, era um artista independente do nordeste, ninguém ali deveria conhecer, ele foi o primeiro a cantar, abrindo o show para os mais famosos cantores. Nicolas ficou pulando o show todo, sabia todas as músicas decoradas. Os outros que ali estavam apenas olhavam e acompanhavam com a cabeça o ritmo, apenas Nic estava cantando tudo, assim uma garota passou a observar o rapaz.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7