Carne de Carnaval - J. A. de Nardo
J. A. de Nardo
João decidiu dar vida aos seus mórbidos pesadelos e compartilhar feitos e devaneios nada memoráveis com o público. 
O medo, o estranho e o cotidiano banal são as suas inspirações para a escrita. Escreve como uma forma de canalizar seus sentimentos, da forma mais clichê possível. 
Se perde em pensamento abstratos e overdoses filosóficas, crê que o horror é um universo a ser explorado, e o pavor é o sentimento mais puro a ser sentido. Se perde também em alguns pseudônimos para poder escrever o que há de mais bizarro em si, não gosta muito de mostrar o rosto para não perturbar os leitores, usa máscaras como referência ao baile de máscaras do plano físico. 
Diretor da Revista Aterrorizante e autor de algumas obras em conjunto e originais nada comuns, sempre terror com doses de perturbação e humor negro.
Sua conquista mais memorável foi um concurso de poesias quando tinha 10 anos, desde então vem colecionando fracassos e insucessos. Muitas vezes confundido com um demônio sem função na terra, transita entre funções aleatórias, como um traficante de inutilidades ou vendedor de ideias natimortas. 
Email: Jaoanm@gmail.com 
Instagram: @joaodenardo






Carne de Carnaval

– Monte Carlo.. É aí onde a festa dos ricos acontece todo Carnaval. Encontrou uma moça de sorte?

– Eu não sou daqui, cara… Nem ela.

– Enfim! Temos aqui peças que vão combinar com você. Seu topete e barba por fazer vão combinar com.. Um terno bem elegante e uma máscara casual, apenas cobrindo parte do rosto, deixando apenas a boca à mostra para sua amada.

– Parece bom, pode me mostrar?

– Claro.. Esse é um terno simples porém perfeito. Já as máscaras temos diversas opções, pode escolher a do seu gosto.

– O terno é realmente muito bom.. Espero que seja algo formal mesmo para não passar vergonha. Já a máscara eu achei essa ótima – Nicolas diz apontando para uma máscara vermelha, com chifres na testa.

– Um diabinho? Excelente, espero que sua nova namorada não seja evangélica.

– Hahah, vamos ver. Por uma noite só fica mais barato?

– Sim! Pode pagar ali no caixa, se precisar de mais dias é só contatar.

Ao sair da loja Nicolas carrega sua vestimenta com um sacola, e para pra pensar se fez a escolha certa quanto a roupa alugada. Checa seu celular, ela teria ligado para confirmar? Esqueceu que não houve tempo nem para a troca de contatos.

O tempo passou rápido, mais do que ele poderia esperar, e as 19 horas já estava pronto, abusou do perfume para tentar impressionar.

Ao chegar no local indicado no convite se deparou com uma grande residência, parecia uma mansão de filme americano. Não fazia ideia de quem estava organizando, porém passou a reparar na roupa dos que entravam junto a ele para ver se estava aceitável.

Logo ao entrar recebeu uma taça de Martini de um garçom que passava, olhava para os lados, mas não enxergava a garota que o encantou. Pensou que talvez tudo não passou de uma brincadeira, e ela sequer iria aparecer, era bonita demais para o pobre rapaz. Andou pelos cantos, sempre olhando segurando sua taça na mão. Passaram cerca de 20 minutos, suas esperanças estavam no chão, até que a grande porta da residência se abriu, lá estava ela. A moça estava deslumbrante e chamou a atenção de todos os presentes, seu vestido era vinho, combinava com a gravata de Nic. Era um vestido digno de tapete vermelho, sua máscara era também simples, porém por uma incrível coincidência também usava uma com chifres, uma diabinha? Parece que ela não iria se importar com a que Nicolas usava. Caminhou até ele, e disse:

– Que máscara bonita, já até sei onde comprou.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7

J. A. de Nardo
Carne de Carnaval

– Monte Carlo.. É aí onde a festa dos ricos acontece todo Carnaval. Encontrou uma moça de sorte?

– Eu não sou daqui, cara… Nem ela.

– Enfim! Temos aqui peças que vão combinar com você. Seu topete e barba por fazer vão combinar com.. Um terno bem elegante e uma máscara casual, apenas cobrindo parte do rosto, deixando apenas a boca à mostra para sua amada.

– Parece bom, pode me mostrar?

– Claro.. Esse é um terno simples porém perfeito. Já as máscaras temos diversas opções, pode escolher a do seu gosto.

– O terno é realmente muito bom.. Espero que seja algo formal mesmo para não passar vergonha. Já a máscara eu achei essa ótima – Nicolas diz apontando para uma máscara vermelha, com chifres na testa.

– Um diabinho? Excelente, espero que sua nova namorada não seja evangélica.

– Hahah, vamos ver. Por uma noite só fica mais barato?

– Sim! Pode pagar ali no caixa, se precisar de mais dias é só contatar.

Ao sair da loja Nicolas carrega sua vestimenta com um sacola, e para pra pensar se fez a escolha certa quanto a roupa alugada. Checa seu celular, ela teria ligado para confirmar? Esqueceu que não houve tempo nem para a troca de contatos.

O tempo passou rápido, mais do que ele poderia esperar, e as 19 horas já estava pronto, abusou do perfume para tentar impressionar.

Ao chegar no local indicado no convite se deparou com uma grande residência, parecia uma mansão de filme americano. Não fazia ideia de quem estava organizando, porém passou a reparar na roupa dos que entravam junto a ele para ver se estava aceitável.

Logo ao entrar recebeu uma taça de Martini de um garçom que passava, olhava para os lados, mas não enxergava a garota que o encantou. Pensou que talvez tudo não passou de uma brincadeira, e ela sequer iria aparecer, era bonita demais para o pobre rapaz. Andou pelos cantos, sempre olhando segurando sua taça na mão. Passaram cerca de 20 minutos, suas esperanças estavam no chão, até que a grande porta da residência se abriu, lá estava ela. A moça estava deslumbrante e chamou a atenção de todos os presentes, seu vestido era vinho, combinava com a gravata de Nic. Era um vestido digno de tapete vermelho, sua máscara era também simples, porém por uma incrível coincidência também usava uma com chifres, uma diabinha? Parece que ela não iria se importar com a que Nicolas usava. Caminhou até ele, e disse:

– Que máscara bonita, já até sei onde comprou.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7