Porcocachorrohomem - Jean Souza
Jean Souza
Nascido em Salvador Bahia no início dos anos 80 Bast o transformou em gato por causa de uma aposta perdida o que ele adorou, condenado ao exílio do submundo escreve para poder passar o tempo na eternidade, lembra de sua vida como humano quando ouvia sludge metal, industrial e noise alisando seus gatos Adolfinho e Tina Turner. Pode ver as outras dimensões e dessas experiências tinge sua pena e começa a escrever, se inspira em Lautréamont, Gogól, Strindberg, Lovecraft, Augustos Dos Anjos, Balzac, Jack Kerauac e seres fantásticos como a alma atormentada de Barba Azul, as divindades Abbuto, Yebá Beló por exemplo, é uma nova entidade que não procura por riquezas ou títulos humanos, o que faz é apenas registro de mundos.





Porcocachorrohomem

12

Certo dia o zelador do circo vacilou e deixou a cela aberta, rapidamente Miguel arrancou o braço e mordeu o pescoço da pobre vítima como se fosse um pedaço macio de frango e fugiu, o velho ouviu os sons de desespero ficou com medo de perder a fortuna e pegou a espingarda, como já não enxergava direito não viu o Porcocachorrohomem aproximar-se que com prazer usou os pés que eram mãos para enforcar seu algoz. Adorou ouvir o som do pescoço do velho se partir, achou a saída, era de novo livre! Andou e teve uma visão quase assustadora – viu uma casa que no topo tinha uma gigantesca cruz, ouviu gemidos de dores aproximou-se e viu lá dentro pessoas em contorções o Porcocachorrohomem não entendia como sofriam sem receber castigos corporais e resolveu entrar na casa, quando todos abriram os olhos em coro gritaram: – é o Diabo! Começaram a rezar para expulsar o ser das trevas, Miguel aproximou-se mais dos homens, começaram a gritar de pavor, os mais sensíveis vomitavam enchendo as roupas e os bancos religiosos com seus restos de comida, nesse momento Miguel sofreu uma transformação, percebeu que tinha chegado a maturidade, das suas costas nasceu asas de urubu real. O monstro era a mistura de quatro e não de três criaturas, Urubuporcocachorrohomem e seu legado é cravar em brasa o horror de sua existência nesse mundo que não compreendia e era por demais vazio.

Havia no oratório dezenas de velas acesas que um fiel em desespero deixou cair no chão. O templo pegou fogo rapidamente derrubando a frágil construção nem mesmo com as asas o Urubuporcocachorrohomem conseguiu escapar, todos morreram mas o terrível monstro foi o único a sorrir porque tinha achado o sentido de sua vida, a última imagem que viu foi uma pena em chamas.

Páginas: 1 2 3 4 5

Jean Souza
Porcocachorrohomem

12

Certo dia o zelador do circo vacilou e deixou a cela aberta, rapidamente Miguel arrancou o braço e mordeu o pescoço da pobre vítima como se fosse um pedaço macio de frango e fugiu, o velho ouviu os sons de desespero ficou com medo de perder a fortuna e pegou a espingarda, como já não enxergava direito não viu o Porcocachorrohomem aproximar-se que com prazer usou os pés que eram mãos para enforcar seu algoz. Adorou ouvir o som do pescoço do velho se partir, achou a saída, era de novo livre! Andou e teve uma visão quase assustadora – viu uma casa que no topo tinha uma gigantesca cruz, ouviu gemidos de dores aproximou-se e viu lá dentro pessoas em contorções o Porcocachorrohomem não entendia como sofriam sem receber castigos corporais e resolveu entrar na casa, quando todos abriram os olhos em coro gritaram: – é o Diabo! Começaram a rezar para expulsar o ser das trevas, Miguel aproximou-se mais dos homens, começaram a gritar de pavor, os mais sensíveis vomitavam enchendo as roupas e os bancos religiosos com seus restos de comida, nesse momento Miguel sofreu uma transformação, percebeu que tinha chegado a maturidade, das suas costas nasceu asas de urubu real. O monstro era a mistura de quatro e não de três criaturas, Urubuporcocachorrohomem e seu legado é cravar em brasa o horror de sua existência nesse mundo que não compreendia e era por demais vazio.

Havia no oratório dezenas de velas acesas que um fiel em desespero deixou cair no chão. O templo pegou fogo rapidamente derrubando a frágil construção nem mesmo com as asas o Urubuporcocachorrohomem conseguiu escapar, todos morreram mas o terrível monstro foi o único a sorrir porque tinha achado o sentido de sua vida, a última imagem que viu foi uma pena em chamas.

Páginas: 1 2 3 4 5