Identidade - Final - Jorge Machado
Jorge Machado
Escritor desde os doze anos de idade (quando conheci a literatura e adotei o pseudônimo temporário de "Jorge Mamado"). Fui apresentado ao horror tarde, nas estantes da biblioteca pública do ensino médio. Desde então sigo na busca do funesto e do reprovável como forma de resistência à apatia e ao conformismo dessa geração.
Brinquei de punk durante a adolescência tardia e troquei a água pela cerveja. Depois pela pinga. Depois voltei aos livros. Viciado em gás lacrimogêneo e spray de pimenta, sonho em explodir o Ancapistão usando um artefato com a grafia "Propriedade é roubo" na fuselagem.





Identidade – Final

       “É natural que haja complicações em qualquer cirurgia meu amor. O que deve estar ocorrendo é uma perda de conectividade com o próprio rosto uma vez que passou tanto tempo desfigurado. Isso deve passar logo, é só uma fase…”

       “Não, você não entende. Ele está mudado! Mudado! Eu não sei o que ocorreu naquela clínica, mas eles fizeram alguma coisa com o Henry.”

       “O que exatamente?”

       “Alguma experiência… eu não sei. O corpo dele está idêntico ao que me recordo, exceto por algumas imperfeições, algumas marcas de nascença que foram perdidas, mas… a mente dele mudou. Ele não parece a mesma pessoa.”

       “Ele sofreu um trauma muito grande. Mesmo com o acompanhamento com o doutor Alfredo ainda existem sequelas difíceis de cicatrizar.”

       “Não é questão de trauma. Existe alguma coisa que mudou a mente dele, Sofia!”

       “Ele está tendo alterações de humor? Irritação ou tremores no corpo? lapsos de memória?”

       “Sim. Sim, ele tem lapsos de memória. Nenhum tremor e talvez algumas alterações de humor, mas não sei dizer ao certo. Mas a memória dele está…. alterada…”

       “O que quer dizer com alterada?”, nesse ponto estava ficando finalmente interessada.

       “Ele não se lembra de algumas coisas. Quando fomos almoçar na casa de meus tios… bem, você ainda não os conhece, mas Henry era um grande amigo de Luan, meu primo. Quando fomos visita-los ele agia como se não o conhecesse. Era como se os anos de amizade tivessem sido esquecidos para sempre. Oh, Deus estou tão assustada.”

       “Não fique querida, estou indo para aí agora.”

       “Sofia, por favor. Eu acho que ele é perigoso.”

       “Ele te machucou?”

       “Não. Sim. Não, exatamente. Ele está agressivo de vez em quando. Diz que não gosta que eu faça muitas perguntas. Perdeu o controle emocional na última quarta feira após o trabalho. Eu não sei o que fazer. Tem alguma coisa na mente dele. É uma mudança lá no fundo, talvez na alma, eu não sei”

       “Você conversou com o Dr. Alfredo sobre o estado dele?”

       “Eles disseram que o doutor Alfredo ia tratar do Henry apenas até o dia do procedimento. Depois disso não falamos mais com ele. Eu não gosto dele de qualquer forma.”

       “Tudo indica que ele está passando por uma fase de instabilidade psicológica. Talvez devido ao forte trauma do incêndio e a cirurgia que foi coberta pela maldita imprensa.”

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7

Jorge Machado
Identidade – Final

       “É natural que haja complicações em qualquer cirurgia meu amor. O que deve estar ocorrendo é uma perda de conectividade com o próprio rosto uma vez que passou tanto tempo desfigurado. Isso deve passar logo, é só uma fase…”

       “Não, você não entende. Ele está mudado! Mudado! Eu não sei o que ocorreu naquela clínica, mas eles fizeram alguma coisa com o Henry.”

       “O que exatamente?”

       “Alguma experiência… eu não sei. O corpo dele está idêntico ao que me recordo, exceto por algumas imperfeições, algumas marcas de nascença que foram perdidas, mas… a mente dele mudou. Ele não parece a mesma pessoa.”

       “Ele sofreu um trauma muito grande. Mesmo com o acompanhamento com o doutor Alfredo ainda existem sequelas difíceis de cicatrizar.”

       “Não é questão de trauma. Existe alguma coisa que mudou a mente dele, Sofia!”

       “Ele está tendo alterações de humor? Irritação ou tremores no corpo? lapsos de memória?”

       “Sim. Sim, ele tem lapsos de memória. Nenhum tremor e talvez algumas alterações de humor, mas não sei dizer ao certo. Mas a memória dele está…. alterada…”

       “O que quer dizer com alterada?”, nesse ponto estava ficando finalmente interessada.

       “Ele não se lembra de algumas coisas. Quando fomos almoçar na casa de meus tios… bem, você ainda não os conhece, mas Henry era um grande amigo de Luan, meu primo. Quando fomos visita-los ele agia como se não o conhecesse. Era como se os anos de amizade tivessem sido esquecidos para sempre. Oh, Deus estou tão assustada.”

       “Não fique querida, estou indo para aí agora.”

       “Sofia, por favor. Eu acho que ele é perigoso.”

       “Ele te machucou?”

       “Não. Sim. Não, exatamente. Ele está agressivo de vez em quando. Diz que não gosta que eu faça muitas perguntas. Perdeu o controle emocional na última quarta feira após o trabalho. Eu não sei o que fazer. Tem alguma coisa na mente dele. É uma mudança lá no fundo, talvez na alma, eu não sei”

       “Você conversou com o Dr. Alfredo sobre o estado dele?”

       “Eles disseram que o doutor Alfredo ia tratar do Henry apenas até o dia do procedimento. Depois disso não falamos mais com ele. Eu não gosto dele de qualquer forma.”

       “Tudo indica que ele está passando por uma fase de instabilidade psicológica. Talvez devido ao forte trauma do incêndio e a cirurgia que foi coberta pela maldita imprensa.”

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7