Mundo Gato - Final - Matheus Freitas
Matheus Freitas
Matheus Freitas nasceu em 1990, é jornalista, escritor e roteirista. Tenta povoar todos os gêneros e formatos possíveis para poder dar andamento em seu projeto de Universo Compartilhado de Narrativa Transmídia, que é extenso demais para explicar neste espaço.
Por ora, escreve romances, contos e roteiros de HQs, audiovisual e tudo mais que puder inventar para criar o universo compartilhado mais diversificado possível. Gosta de trabalhar com basicamente todos os gêneros: terror, horror, suspense, humor, romance, ação, aventura etc.
Gosta de escrever aquilo que gostaria de ler ou ver, por isso, às vezes, tem algumas ideias absurdas, outras interessantes e algumas, sob entendimento de outros, ruins (porque seu gosto nem sempre é compreendido pelos demais), mas, no fim das contas, só quer contar algumas histórias.






Mundo Gato – Final

– Isso é loucura! Por favor, me dê uma chance de te convencer que tu está errada!

Ayla respira fundo. Começa a chorar e, em passos lentos, se aproxima de Ricardo. A jovem olha seus amigos mortos no chão, abraça Ricardo e chora mais forte.

– Talvez você esteja certo, acho que acabou mesmo.

– Calma, está tudo bem. Vamos consertar isso. Você foi iludida por eles.

– Me desculpa!

– Pelo quê?

Ayla acerta uma joelhada nos testículos dele, o deixa caído no chão e corre o mais rápido possível. Mesmo com fortes dores em suas partes íntimas, Ricardo só tinha uma certeza:

– Nenhum cachorro morrerá hoje!

Ele se levanta o mais rápido possível, pega seu facão e arremessa em direção a Ayla. A faca atinge em cheio as costas da moça e atravessa seu corpo. Ao ver o que acertou o alvo, Ricardo corre em direção da novem para consolá-la.

– Ayla! Me desculpa! Não queria fazer isso, mas são apenas animais, não posso deixar ninguém fazer nada com eles!

– Tá tudo bem! Você cumpriu seu propósito! Tu é um cara determinado, continue assim.  

Sentado no chão, Ricardo coloca Ayla em seu colo. A moça começa a cuspir sangue, indicando que o fim de sua vida está próximo.

Ricardo, um ser de extrema compaixão que, naquele momento, estava apenas usando medidas drásticas para salvar animais, se sensibiliza e decide fazer uma boa ação:

– Não quero te ver sofrer. Vou acabar logo com isso!

– Tudo bem. Te amo, Ricardo!

– Te amo!

Ele retira o facão do corpo dela e dá mais uma facada na jovem. Em seguida, deita Ayla na rua e começa a chorar. Passa a mão em seus cabelos e tenta entender o que a levou a fazer essas escolhas. Apesar de ver sua amada morta, Ricardo sente uma calmaria dentro de si e ao redor. No fundo, sabe que sua escolha foi a certa.

Páginas: 1 2 3 4 5

Matheus Freitas
Mundo Gato – Final

– Isso é loucura! Por favor, me dê uma chance de te convencer que tu está errada!

Ayla respira fundo. Começa a chorar e, em passos lentos, se aproxima de Ricardo. A jovem olha seus amigos mortos no chão, abraça Ricardo e chora mais forte.

– Talvez você esteja certo, acho que acabou mesmo.

– Calma, está tudo bem. Vamos consertar isso. Você foi iludida por eles.

– Me desculpa!

– Pelo quê?

Ayla acerta uma joelhada nos testículos dele, o deixa caído no chão e corre o mais rápido possível. Mesmo com fortes dores em suas partes íntimas, Ricardo só tinha uma certeza:

– Nenhum cachorro morrerá hoje!

Ele se levanta o mais rápido possível, pega seu facão e arremessa em direção a Ayla. A faca atinge em cheio as costas da moça e atravessa seu corpo. Ao ver o que acertou o alvo, Ricardo corre em direção da novem para consolá-la.

– Ayla! Me desculpa! Não queria fazer isso, mas são apenas animais, não posso deixar ninguém fazer nada com eles!

– Tá tudo bem! Você cumpriu seu propósito! Tu é um cara determinado, continue assim.  

Sentado no chão, Ricardo coloca Ayla em seu colo. A moça começa a cuspir sangue, indicando que o fim de sua vida está próximo.

Ricardo, um ser de extrema compaixão que, naquele momento, estava apenas usando medidas drásticas para salvar animais, se sensibiliza e decide fazer uma boa ação:

– Não quero te ver sofrer. Vou acabar logo com isso!

– Tudo bem. Te amo, Ricardo!

– Te amo!

Ele retira o facão do corpo dela e dá mais uma facada na jovem. Em seguida, deita Ayla na rua e começa a chorar. Passa a mão em seus cabelos e tenta entender o que a levou a fazer essas escolhas. Apesar de ver sua amada morta, Ricardo sente uma calmaria dentro de si e ao redor. No fundo, sabe que sua escolha foi a certa.

Páginas: 1 2 3 4 5