Mundo Gato - Matheus Freitas
Matheus Freitas
Matheus Freitas nasceu em 1990, é jornalista, escritor e roteirista. Tenta povoar todos os gêneros e formatos possíveis para poder dar andamento em seu projeto de Universo Compartilhado de Narrativa Transmídia, que é extenso demais para explicar neste espaço.
Por ora, escreve romances, contos e roteiros de HQs, audiovisual e tudo mais que puder inventar para criar o universo compartilhado mais diversificado possível. Gosta de trabalhar com basicamente todos os gêneros: terror, horror, suspense, humor, romance, ação, aventura etc.
Gosta de escrever aquilo que gostaria de ler ou ver, por isso, às vezes, tem algumas ideias absurdas, outras interessantes e algumas, sob entendimento de outros, ruins (porque seu gosto nem sempre é compreendido pelos demais), mas, no fim das contas, só quer contar algumas histórias.






Mundo Gato

– E aí Ricardo, o que tu faz da vida? – perguntou Thiago.

– Bah, já fiz de tudo um pouco, mas nunca curti muito emprego formal, sabe? Já fui músico.

“Eu e um brother tínhamos um grupo que cantava reggae, mas paramos há alguns anos. A última vez que nos reunimos foi em 2013, em um show que marcava o retorno da Dino Rockssauro.”

“Depois da música, passei a viver da minha arte e tudo mais. Consegui expor em vários países e juntei uma grana. Agora voltei pra música. Faço parte de um projeto para crianças carentes.”

– Que legal, Ricardo! Eu também toco e estou sempre atrás desses projetos, se tu quiser me convidar para ir lá um dia, super agradeço – disse Douglas.

– Claro, vamos combinar sim. Aqueles moleques adoram músicas e tens uns bom pra caralho lá!

– E como vocês se conheceram? – quis saber Luiza.

– Ah, eu e o pessoal da orquestra fomos convidados a tocar em uma apresentação lá nesse projeto – começou Ayla – Quando fomos apresentados e disseram que o Ricardo era o criador deste programa de música para às crianças, fiquei encantada por ele. Começamos a conversar nesse mesmo dia e saímos para tomar uma cerveja. Depois não paramos mais de nos ver!

Ayla e Ricardo trocavam olhares, carinhos e concluíam as frases um do outro. Pareciam que estavam juntos há anos. O “entrosamento” de Ricardo com os amigos de Ayla também foi rápido. A diferença de idade entre eles (os amigos da moça tinha a mesma faixa etária que ela) passava despercebida. Era como se Ricardo tivesse crescido junto com todos.

As horas foram passando. Os sanduíches que Thiago levou para comemorar o aniversário de Bartolomeu tinham terminado. O refrigerante e as águas também chegaram ao fim. O sol estava se pondo. O cachorro já estava cansado de tanto brincar no parque.

– Pessoal, que tal continuarmos as comemorações na minha casa? Podemos tomar uma cerveja e tudo mais, que tal? – convidou Thiago.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7

Matheus Freitas
Mundo Gato

– E aí Ricardo, o que tu faz da vida? – perguntou Thiago.

– Bah, já fiz de tudo um pouco, mas nunca curti muito emprego formal, sabe? Já fui músico.

“Eu e um brother tínhamos um grupo que cantava reggae, mas paramos há alguns anos. A última vez que nos reunimos foi em 2013, em um show que marcava o retorno da Dino Rockssauro.”

“Depois da música, passei a viver da minha arte e tudo mais. Consegui expor em vários países e juntei uma grana. Agora voltei pra música. Faço parte de um projeto para crianças carentes.”

– Que legal, Ricardo! Eu também toco e estou sempre atrás desses projetos, se tu quiser me convidar para ir lá um dia, super agradeço – disse Douglas.

– Claro, vamos combinar sim. Aqueles moleques adoram músicas e tens uns bom pra caralho lá!

– E como vocês se conheceram? – quis saber Luiza.

– Ah, eu e o pessoal da orquestra fomos convidados a tocar em uma apresentação lá nesse projeto – começou Ayla – Quando fomos apresentados e disseram que o Ricardo era o criador deste programa de música para às crianças, fiquei encantada por ele. Começamos a conversar nesse mesmo dia e saímos para tomar uma cerveja. Depois não paramos mais de nos ver!

Ayla e Ricardo trocavam olhares, carinhos e concluíam as frases um do outro. Pareciam que estavam juntos há anos. O “entrosamento” de Ricardo com os amigos de Ayla também foi rápido. A diferença de idade entre eles (os amigos da moça tinha a mesma faixa etária que ela) passava despercebida. Era como se Ricardo tivesse crescido junto com todos.

As horas foram passando. Os sanduíches que Thiago levou para comemorar o aniversário de Bartolomeu tinham terminado. O refrigerante e as águas também chegaram ao fim. O sol estava se pondo. O cachorro já estava cansado de tanto brincar no parque.

– Pessoal, que tal continuarmos as comemorações na minha casa? Podemos tomar uma cerveja e tudo mais, que tal? – convidou Thiago.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7