O Demonio de Tourette- Final - Matheus Freitas
Matheus Freitas
Matheus Freitas nasceu em 1990, é jornalista, escritor e roteirista. Tenta povoar todos os gêneros e formatos possíveis para poder dar andamento em seu projeto de Universo Compartilhado de Narrativa Transmídia, que é extenso demais para explicar neste espaço.
Por ora, escreve romances, contos e roteiros de HQs, audiovisual e tudo mais que puder inventar para criar o universo compartilhado mais diversificado possível. Gosta de trabalhar com basicamente todos os gêneros: terror, horror, suspense, humor, romance, ação, aventura etc.
Gosta de escrever aquilo que gostaria de ler ou ver, por isso, às vezes, tem algumas ideias absurdas, outras interessantes e algumas, sob entendimento de outros, ruins (porque seu gosto nem sempre é compreendido pelos demais), mas, no fim das contas, só quer contar algumas histórias.






O Demonio de Tourette- Final

– Luzio.

O menino começa a se acalmar. Os tíquetes diminuem e são substituídos por lágrimas:

– Água quente! Ele joga água quente em mim e diz que é água benta – diz o garoto.

– Filho da puta! – retruca Pietro.

– Eu não sei o que eu tenho, me ajudem…

– Síndrome de Tourette – fala Elba.

– Sim, já ouvi falar – complementou Pietro – Uma síndrome não tão comum. Talvez, o primeiro caso da família e o do vilarejo. Com a crença e a falta de informação não foi difícil deduzir que se trata de uma possessão demoníaca. Este padre se aproveita da falta de orientação das pessoas…

– Pietro, está na hora de agir mais e falar menos – interrompe Elba – Vem, vamos levá-lo embora…

– Como? – pergunta Pietro – Temos que esperar até o dia amanhecer para podermos sair daqui…

– Vamos tirá-lo daqui e nos esconder ou sei lá. Depois demos um jeito de ir embora…

Enquanto estudam como vão sair e salvar a vida do menino, eles começam a ouvir passos e vozes. O padre está retornando, porém, não vem sozinho. Munidos de tochas nas mãos, a população acompanha Zequeu em direção a casa em que Pietro e Elba estão.

Ao perceberem a movimentação, os dois também se dão conta de que o chuveiro está desligado.

– Não se preocupe, nós vamos salvá-lo! – diz Elba ao menino.

Os três fogem por uma janela nos fundos da casa. Porém, ficam encurralados, já que a população está em frente à residência e ocupa boa parte da pequena rua. Não demora muito para a mãe do menino sair do banheiro e notar a movimentação em frente a sua moradia.

– O demônio é mais forte do que eu pensava, Prudência – indagou o padre a ela – Infelizmente, não podemos aguardar à quinta sessão. Ele é tão poderoso que trouxe outros demônios para cá.

“Mais cedo, um homem e uma mulher desembarcaram no vilarejo. Passaram-se por simples turistas, mas ficaram o dia dentro da pousada e agora sumiram. Que tipo de

Páginas: 1 2 3 4

Matheus Freitas
O Demonio de Tourette- Final

– Luzio.

O menino começa a se acalmar. Os tíquetes diminuem e são substituídos por lágrimas:

– Água quente! Ele joga água quente em mim e diz que é água benta – diz o garoto.

– Filho da puta! – retruca Pietro.

– Eu não sei o que eu tenho, me ajudem…

– Síndrome de Tourette – fala Elba.

– Sim, já ouvi falar – complementou Pietro – Uma síndrome não tão comum. Talvez, o primeiro caso da família e o do vilarejo. Com a crença e a falta de informação não foi difícil deduzir que se trata de uma possessão demoníaca. Este padre se aproveita da falta de orientação das pessoas…

– Pietro, está na hora de agir mais e falar menos – interrompe Elba – Vem, vamos levá-lo embora…

– Como? – pergunta Pietro – Temos que esperar até o dia amanhecer para podermos sair daqui…

– Vamos tirá-lo daqui e nos esconder ou sei lá. Depois demos um jeito de ir embora…

Enquanto estudam como vão sair e salvar a vida do menino, eles começam a ouvir passos e vozes. O padre está retornando, porém, não vem sozinho. Munidos de tochas nas mãos, a população acompanha Zequeu em direção a casa em que Pietro e Elba estão.

Ao perceberem a movimentação, os dois também se dão conta de que o chuveiro está desligado.

– Não se preocupe, nós vamos salvá-lo! – diz Elba ao menino.

Os três fogem por uma janela nos fundos da casa. Porém, ficam encurralados, já que a população está em frente à residência e ocupa boa parte da pequena rua. Não demora muito para a mãe do menino sair do banheiro e notar a movimentação em frente a sua moradia.

– O demônio é mais forte do que eu pensava, Prudência – indagou o padre a ela – Infelizmente, não podemos aguardar à quinta sessão. Ele é tão poderoso que trouxe outros demônios para cá.

“Mais cedo, um homem e uma mulher desembarcaram no vilarejo. Passaram-se por simples turistas, mas ficaram o dia dentro da pousada e agora sumiram. Que tipo de

Páginas: 1 2 3 4