Naomi - Miyuki Moon
Miyuki Moon
Nasci cinco antes do primeiro fim do mundo existir (1995), portanto sou da geração Y. Minha paixão inicialmente foi por poesias sombrias quando tive minha primeira paixão não correspondida, desde então não parei de escrever. Com uma cuia de chimarrão e meu animalzinho gato companheiro inseparável, escrevo sobre vários gêneros, mas sempre usando minha imaginação, algumas vezes doentia. Além de escritora amadora também desenho usando geralmente inspirações do querido “Príncipe do Isopor”. Atualmente sou estudante de moda, louca por estamparia, pois também é onde posso pirar minhas ideias.




Naomi

No início do século XV (1401 – 1500), a igreja católica ainda queimava as mulheres que eles consideram bruxas, embora quisessem salvar corpos doentes.

Naomi era uma garota que recentemente completou seus 15 anos, pele clara com sardas, olhos verdes, usava uma manta em sua cabeça para esconder seus cabelos de fogo.

Ela estava comprometida com Rafael, um casamento arranjado. E para escapar dessa triste realidade, ela arrumou suas coisas e foi atrás de conhecimento.

Naomi, desde criança, sempre ajudou as pessoas, mesmo depois de entrar na mocidade quis esse objetivo, empolgada pelos viajantes que contava suas historias; ela soube de uma pessoa chamada Doratello, um homem avançado em sua medicina.

Naomi mesmo sem saber se ele realmente existia, procurou pela Europa, indo atrás de pistas que encontrava.

Em uma noite de inverno Naomi estava com frio e estava no meio do nada, caminhando com seus pés congelados por causa da neve, avistou uma casa de madeira aonde bateu em sua porta, pediu abrigo e comida. Um senhor generoso a recolheu, muito elegante, para viver em uma casa tão talhada.

No assoalho da casa tinha uma passagem para o subterrâneo, desceram as escadas onde, nas paredes estavam dispostas velas, e no final da escada havia duas portas grandes e quando ela foi aberta, toda a escuridão que as velas não alcançavam se tornou luz e nesse momento ela soube que ele era o mestre que ela procurava: Doratello.

Ele ofereceu um vinho, um bezerro assado com uvas passas, arroz e pão em uma mesa grande feita de ouro.

Ela sentou numa ponta e ele na outra. Ela comentou a ele que o havia procurado, pois queria aprender sobre medicina. Tinha interesse em estudar a ciência conhecida e praticada por ele.

Doratello ficou impressionado com tanta fome de conhecimento que Naomi tinha; (logo ele viria a se apaixonar por ela) ainda mais quando, delicadamente pediu que ela retirasse a manta que escondia seus cabelos cor de fogo deixando-os soltos e visíveis.

Ele cedeu um quarto a ela e em todas as manhãs, ela buscava estudar com ajuda de um o corpo humano dissecado, todas as funções de cada órgão. A parte da tarde ela aprendia a fazer remédios com uso da ciência das plantas e a noite Naomi tinha um descanso, era a hora em que ela relaxava, jantava, tomava seu banho e dormia, pois na manhã seguinte ela precisava acordar cedo para retomar a sua rotina de estudos.

Páginas: 1 2 3

Miyuki Moon
Naomi

No início do século XV (1401 – 1500), a igreja católica ainda queimava as mulheres que eles consideram bruxas, embora quisessem salvar corpos doentes.

Naomi era uma garota que recentemente completou seus 15 anos, pele clara com sardas, olhos verdes, usava uma manta em sua cabeça para esconder seus cabelos de fogo.

Ela estava comprometida com Rafael, um casamento arranjado. E para escapar dessa triste realidade, ela arrumou suas coisas e foi atrás de conhecimento.

Naomi, desde criança, sempre ajudou as pessoas, mesmo depois de entrar na mocidade quis esse objetivo, empolgada pelos viajantes que contava suas historias; ela soube de uma pessoa chamada Doratello, um homem avançado em sua medicina.

Naomi mesmo sem saber se ele realmente existia, procurou pela Europa, indo atrás de pistas que encontrava.

Em uma noite de inverno Naomi estava com frio e estava no meio do nada, caminhando com seus pés congelados por causa da neve, avistou uma casa de madeira aonde bateu em sua porta, pediu abrigo e comida. Um senhor generoso a recolheu, muito elegante, para viver em uma casa tão talhada.

No assoalho da casa tinha uma passagem para o subterrâneo, desceram as escadas onde, nas paredes estavam dispostas velas, e no final da escada havia duas portas grandes e quando ela foi aberta, toda a escuridão que as velas não alcançavam se tornou luz e nesse momento ela soube que ele era o mestre que ela procurava: Doratello.

Ele ofereceu um vinho, um bezerro assado com uvas passas, arroz e pão em uma mesa grande feita de ouro.

Ela sentou numa ponta e ele na outra. Ela comentou a ele que o havia procurado, pois queria aprender sobre medicina. Tinha interesse em estudar a ciência conhecida e praticada por ele.

Doratello ficou impressionado com tanta fome de conhecimento que Naomi tinha; (logo ele viria a se apaixonar por ela) ainda mais quando, delicadamente pediu que ela retirasse a manta que escondia seus cabelos cor de fogo deixando-os soltos e visíveis.

Ele cedeu um quarto a ela e em todas as manhãs, ela buscava estudar com ajuda de um o corpo humano dissecado, todas as funções de cada órgão. A parte da tarde ela aprendia a fazer remédios com uso da ciência das plantas e a noite Naomi tinha um descanso, era a hora em que ela relaxava, jantava, tomava seu banho e dormia, pois na manhã seguinte ela precisava acordar cedo para retomar a sua rotina de estudos.

Páginas: 1 2 3