Carne fresca - Parte 1 - Tatianie Kiosia
Tatianie Kiosia
Tatianie Kiosia reside em Campinas no interior de São Paulo, tem 35 anos e é artesã e escritora, autora de contos de horror, caracterizada por um mórbido e culto refinamento singular apenas aos indivíduos cuja ironia cáustica somada à criativa imaginação culminam em textos de profundo horror. Por anos foi mantenedora e coeditora do fanzine Vampyrum Spectrum, publicação dedicada á música extrema e ocultismo que circulou ativamente pelo necrounderground brasileiro e que deverá ressurgir numa obscura aurora. É idealizadora do blog Escritos do Inferno, insano depositário de muitos de seus contos de horror e de histórias causadoras de forte repulsa, não recomendado aos indivíduos mais frágeis. Escritos do Inferno é também o título de seu primeiro livro, obra publicada de forma independente pelo Clube de Autores durante o ano de 2017 que reúne vários de seus trabalhos, alguns escritos no início da adolescência.
Hoje vive literalmente de sua arte, e nas poucas horas vagas escreve contos inspirados em sonhos estranhos, lembranças bizarras e fatos insólitos do dia a dia.
E-mail: tatianie_kiosia@hotmail.com
Facebook: facebook.com/tatianie.kiosia
Site: escritosdoinferno.wordpress.com






Carne fresca – Parte 1

– Não quero isso não, você é muito bonita, mas não é isso, olha, fique calma – Daniel já estava ficando nervoso. – Quer comer alguma coisa, quer uma água?

– Seu filho da puta, me solta! Socorro!!! – gritou Marcela.

Daniel resolver fechar a porta e voltar outra hora. Ela continuou gritando lá dentro, por sorte ele morava em um condomínio e sua casa era a mais afastada de todas as outras, ainda assim alguém poderia passar ali por perto durante uma caminhada e ouvir os gritos. Seu coração começou a virar uma britadeira. As veias quase explodindo dentro do cérebro. A mesma sensação do fatídico dia da briga, ainda que o risco de morte não existisse naquele momento, não para ele. De supetão Daniel abriu a porta daquele lavabo e disse com o rosto vermelho de raiva:

– Cale a boca ou vou enfiar uma meia imunda na sua garganta! Por favor!

Ela calou-se. Com a maquiagem da noite anterior toda borrada pelas lágrimas, ela apenas conseguir dizer baixinho:

– Meus braços estão dormentes…

Daniel, muito prestativo, acocorou-se ao seu lado e massageou seus braços brancos e roliços. Marcela começou a chorar e soluçar, como uma criança pequena, e Daniel, observando aquele corpo trêmulo, de carnes abundantes, só conseguia pensar em uma única coisa: encher a sua boca de carne suculenta e macia.

Continua no link abaixo:
http://maldohorror.com.br/tatianie-kiosia/carne-fresca-parte-02/

Páginas: 1 2 3 4 5

Tatianie Kiosia
Carne fresca – Parte 1

– Não quero isso não, você é muito bonita, mas não é isso, olha, fique calma – Daniel já estava ficando nervoso. – Quer comer alguma coisa, quer uma água?

– Seu filho da puta, me solta! Socorro!!! – gritou Marcela.

Daniel resolver fechar a porta e voltar outra hora. Ela continuou gritando lá dentro, por sorte ele morava em um condomínio e sua casa era a mais afastada de todas as outras, ainda assim alguém poderia passar ali por perto durante uma caminhada e ouvir os gritos. Seu coração começou a virar uma britadeira. As veias quase explodindo dentro do cérebro. A mesma sensação do fatídico dia da briga, ainda que o risco de morte não existisse naquele momento, não para ele. De supetão Daniel abriu a porta daquele lavabo e disse com o rosto vermelho de raiva:

– Cale a boca ou vou enfiar uma meia imunda na sua garganta! Por favor!

Ela calou-se. Com a maquiagem da noite anterior toda borrada pelas lágrimas, ela apenas conseguir dizer baixinho:

– Meus braços estão dormentes…

Daniel, muito prestativo, acocorou-se ao seu lado e massageou seus braços brancos e roliços. Marcela começou a chorar e soluçar, como uma criança pequena, e Daniel, observando aquele corpo trêmulo, de carnes abundantes, só conseguia pensar em uma única coisa: encher a sua boca de carne suculenta e macia.

Continua no link abaixo:
http://maldohorror.com.br/tatianie-kiosia/carne-fresca-parte-02/

Páginas: 1 2 3 4 5