Maldohorror - Coletivo de escritores fantásticos e malditos.
Venosa Rodrigues
Venosa Rodrigues - Nascido no interior de lugar nenhum. Poeta maldito, contista miserável, dramaturgo fracassado. Morro por tudo e vivo por nada. Gerado dos excrementos de Byron, Rimbaud, Baudelaire, Bukowski, Augusto dos Anjos, e Marquês de Sade. Meus escritos são reflexo de uma mente desvairada e merencória.





Elegia ao mundo moderno

Morrer como um.

O que faz o bom homem é matar.

Na natureza que prevalece o que

A maior arma nuclear tem,

O que a maior arma química tem,

O que o maior poder tem,

O que o maior Deus tem.

Esses são do mundo os reis que sistematicamente

Rastejam sob o chão de palácios dourados.

 

III

Um olho que sai do umbigo vê.

As tripas e o coração

O coração e as tripas vê.

O ânus da mãe natureza sangra.

Expele de sua vagina vermes loucos.

E vê… E vê…

Vê você.  Me vê.

Basta ser e viver.

E sobreviver.  Não morrer.

E o umbigo vê.

Páginas: 1 2 3

Venosa Rodrigues
Elegia ao mundo moderno

Morrer como um.

O que faz o bom homem é matar.

Na natureza que prevalece o que

A maior arma nuclear tem,

O que a maior arma química tem,

O que o maior poder tem,

O que o maior Deus tem.

Esses são do mundo os reis que sistematicamente

Rastejam sob o chão de palácios dourados.

 

III

Um olho que sai do umbigo vê.

As tripas e o coração

O coração e as tripas vê.

O ânus da mãe natureza sangra.

Expele de sua vagina vermes loucos.

E vê… E vê…

Vê você.  Me vê.

Basta ser e viver.

E sobreviver.  Não morrer.

E o umbigo vê.

Páginas: 1 2 3