Penitência - Venosa Rodrigues
Venosa Rodrigues
Venosa Rodrigues - Nascido no interior de lugar nenhum. Poeta maldito, contista miserável, dramaturgo fracassado. Morro por tudo e vivo por nada. Gerado dos excrementos de Byron, Rimbaud, Baudelaire, Bukowski, Augusto dos Anjos, e Marquês de Sade. Meus escritos são reflexo de uma mente desvairada e merencória.





Penitência

 

E mesmo que eu caminhe

Pelo vale da sombra e da

Morte

Caminharei sozinho

Afogado em meus pecados

Há muito tempo fui

Abandonado pelo

Deus misericordioso e justo

Meus clamores foram

Absorvidos pelas paredes

Enquanto o Cristo rei ria

Sob minha carcaça

Meus pulsos abertos sujam

Meus pés descalços

Beijo o chão novamente

E minhas unhas se partem

Cavando o chão

A sete palmos

Onde está o meu caixão

Sete correntes me acorrentam debaixo da terra

Meu corpo servido no

Banquete fúnebre dos vermes

Enquanto rezo uma última

Oração com meus dedos

Decepados.

Venosa Rodrigues
Penitência

 

E mesmo que eu caminhe

Pelo vale da sombra e da

Morte

Caminharei sozinho

Afogado em meus pecados

Há muito tempo fui

Abandonado pelo

Deus misericordioso e justo

Meus clamores foram

Absorvidos pelas paredes

Enquanto o Cristo rei ria

Sob minha carcaça

Meus pulsos abertos sujam

Meus pés descalços

Beijo o chão novamente

E minhas unhas se partem

Cavando o chão

A sete palmos

Onde está o meu caixão

Sete correntes me acorrentam debaixo da terra

Meu corpo servido no

Banquete fúnebre dos vermes

Enquanto rezo uma última

Oração com meus dedos

Decepados.