Coproapocalipse – Parte 03 - Wagner Nyhyhwh
Wagner Nyhyhwh
Pedreiro das palavras
Contador de sandices
Criador de nadas
Wagner Nyhyhwh já nasceu e morreu incontáveis vezes. Em vidas passadas foi Wagner Nyhyw, Reverendo W. Van Baco, Fenilisipropilamina Man, WTD, etc. Sua última ressuscitação se deu em um experimento genético no planeta K da Aglomeração 20.9. A intenção dos kasianos era clonar um ser humano dentro do Programa de Estudos de Raças Inferiores, para posteriormente criar um exército de escravos. Este objetivo foi abandonado quando os cientistas concluíram que os humanos são limitados demais para servir como escravos. Assim, Nyhyhwh foi doado para famílias que procuravam bichos de estimação para adotar. Já na infância gostava de criar, imaginação muito fértil e pulsante. Constantemente confundia ficção com realidade, o que o levava rotineiramente para tratamentos em aldeias psiquiátricas. Adulto, decidiu se tornar escritor e viver pulando de uma aldeia psiquiátrica para outra. Apesar de nenhum de seus livros ser lido por ninguém, sua escrita passou a ser considerada criminosa e herege porque como escritor se proclamava Deus. Sua situação se agravou quando passou a ser rastreado pela polícia quântica, pois gostava de viajar no tempo e em universos paralelos, sem autorização, para colher inspirações para seus textos. Foi preso quando, numa dessas viagens, acabou, por acidente, destruindo por completo toda uma realidade alternativa. Julgado e condenado a ser um degredado. Banido para sempre da Aglomeração 20.9. Não apenas isso, sofreu a mais cruel das punições previstas no Tratado Penal Interdimensional: Viver no planeta Terra! Enviado para junto de seus iguais, a raça falida.
Desde então, perambula pelo submundo humano esperando a realização da Grande Profecia, o dia em que os Fudidos varrerão a Terra e a Sarjeta engolirá os salões de festas.
Enquanto isso, continua criando.
Vez ou outra ainda confunde ficção com realidade.

E-mail: wnyhyw@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Nyhyhwh
Blog: partesforadotodo.blogspot.com.br






Coproapocalipse – Parte 03

Os vermes pogonóforos são curiosos animais que habitam os fundos oceânicos nas regiões vulcânicas das cordilheiras mesoceânicas que parecem ter desistido de comer, afinal, eles não têm boca, nem estômago, nem intestinos, nem ânus. Seu sustento vem de relações mutualísticas com bactérias quimiossintetizantes. Esses sabem viver.

Crítica sobre o livro “o que as mulheres mais gostosas do Brasil pensam sobre privacidade”. O resenhista reclama que o livro não traz nenhuma foto das gostosas. De fato, falha grosseira de edição.

Jovem processa os próprios pais por ter nascido. Justo.

Um velho teve uma parada cardíaca fulminante durante o sexo e morreu. Mas o pau imediatamente inchou e ficou preso no cu da garota. Teve que ser levada ainda grudada nele pro hospital para intervenção cirúrgica pra libertá-la. Tem gente que fode com os outros até depois do fim.

Uma geneticista afirmou que envelhecer é perder o interesse pela vida, uma pessoa só fica velha quando perde a alegria de viver. Acho então que eu já nasci velho.

Hmm… minhas unhas das mãos já estão bem grandes. Crescem rápido. Tenho um cortador em meu gaveteiro. Só corto no roboto. Não apenas as unhas da mão, do pé também. Outro dia a Roxânia, passando pela minha baia, me viu cortando as unhas do pé, ficou horrorizada. “Não acredito que você está fazendo isso”. O que ela queria? Que eu fizesse em casa? Desperdiçasse meu tempo livre?

De vez em quando minha mãe me liga a cobrar aqui, aproveitando o telefone corporativo. Como de costume pergunta como estou. Normal, respondo, é o que sempre respondo. Quando digo normal quero dizer: a bosta de sempre. Um tanto angustiada, ela relata preocupação crescente com pai. Diz não saber mais o que fazer com ele, a situação tá piorando muito. Meu pai tem alzheimer. Meu avô também tinha. É fato que terei também. E não vai demorar. Já sou meio lesado. Minha memória é nula. Pai, além de alzheimer, tem síndrome de tourette. Lembro que um dia estávamos à mesa, almoço de família na casa deles. Ele sacudiu o saleiro, mas estava vazio. Teve crise de fúria. Arremessou o saleiro na janela. Virou a mesa. Eu, mãe e minhas irmãs ainda estávamos comendo. Ficamos com os talheres na mão. Mesa, pratos, potes e panelas todos quebrados, esparramados pelo chão com a comida. Jogou a estante da sala no chão também. Chutou a porta até derrubar. Foi pra rua e começou a socar os carros estacionados.

Tourette é osso. Alzheimer também.

Páginas: 1 2 3

Wagner Nyhyhwh
Coproapocalipse – Parte 03

Os vermes pogonóforos são curiosos animais que habitam os fundos oceânicos nas regiões vulcânicas das cordilheiras mesoceânicas que parecem ter desistido de comer, afinal, eles não têm boca, nem estômago, nem intestinos, nem ânus. Seu sustento vem de relações mutualísticas com bactérias quimiossintetizantes. Esses sabem viver.

Crítica sobre o livro “o que as mulheres mais gostosas do Brasil pensam sobre privacidade”. O resenhista reclama que o livro não traz nenhuma foto das gostosas. De fato, falha grosseira de edição.

Jovem processa os próprios pais por ter nascido. Justo.

Um velho teve uma parada cardíaca fulminante durante o sexo e morreu. Mas o pau imediatamente inchou e ficou preso no cu da garota. Teve que ser levada ainda grudada nele pro hospital para intervenção cirúrgica pra libertá-la. Tem gente que fode com os outros até depois do fim.

Uma geneticista afirmou que envelhecer é perder o interesse pela vida, uma pessoa só fica velha quando perde a alegria de viver. Acho então que eu já nasci velho.

Hmm… minhas unhas das mãos já estão bem grandes. Crescem rápido. Tenho um cortador em meu gaveteiro. Só corto no roboto. Não apenas as unhas da mão, do pé também. Outro dia a Roxânia, passando pela minha baia, me viu cortando as unhas do pé, ficou horrorizada. “Não acredito que você está fazendo isso”. O que ela queria? Que eu fizesse em casa? Desperdiçasse meu tempo livre?

De vez em quando minha mãe me liga a cobrar aqui, aproveitando o telefone corporativo. Como de costume pergunta como estou. Normal, respondo, é o que sempre respondo. Quando digo normal quero dizer: a bosta de sempre. Um tanto angustiada, ela relata preocupação crescente com pai. Diz não saber mais o que fazer com ele, a situação tá piorando muito. Meu pai tem alzheimer. Meu avô também tinha. É fato que terei também. E não vai demorar. Já sou meio lesado. Minha memória é nula. Pai, além de alzheimer, tem síndrome de tourette. Lembro que um dia estávamos à mesa, almoço de família na casa deles. Ele sacudiu o saleiro, mas estava vazio. Teve crise de fúria. Arremessou o saleiro na janela. Virou a mesa. Eu, mãe e minhas irmãs ainda estávamos comendo. Ficamos com os talheres na mão. Mesa, pratos, potes e panelas todos quebrados, esparramados pelo chão com a comida. Jogou a estante da sala no chão também. Chutou a porta até derrubar. Foi pra rua e começou a socar os carros estacionados.

Tourette é osso. Alzheimer também.

Páginas: 1 2 3