PUTRECRÔNICAS: UM BELO DIA PARA BEBER - Wagner Nyhyhwh
Wagner Nyhyhwh
Pedreiro das palavras
Contador de sandices
Criador de nadas
Wagner Nyhyhwh já nasceu e morreu incontáveis vezes. Em vidas passadas foi Wagner Nyhyw, Reverendo W. Van Baco, Fenilisipropilamina Man, WTD, etc. Sua última ressuscitação se deu em um experimento genético no planeta K da Aglomeração 20.9. A intenção dos kasianos era clonar um ser humano dentro do Programa de Estudos de Raças Inferiores, para posteriormente criar um exército de escravos. Este objetivo foi abandonado quando os cientistas concluíram que os humanos são limitados demais para servir como escravos. Assim, Nyhyhwh foi doado para famílias que procuravam bichos de estimação para adotar. Já na infância gostava de criar, imaginação muito fértil e pulsante. Constantemente confundia ficção com realidade, o que o levava rotineiramente para tratamentos em aldeias psiquiátricas. Adulto, decidiu se tornar escritor e viver pulando de uma aldeia psiquiátrica para outra. Apesar de nenhum de seus livros ser lido por ninguém, sua escrita passou a ser considerada criminosa e herege porque como escritor se proclamava Deus. Sua situação se agravou quando passou a ser rastreado pela polícia quântica, pois gostava de viajar no tempo e em universos paralelos, sem autorização, para colher inspirações para seus textos. Foi preso quando, numa dessas viagens, acabou, por acidente, destruindo por completo toda uma realidade alternativa. Julgado e condenado a ser um degredado. Banido para sempre da Aglomeração 20.9. Não apenas isso, sofreu a mais cruel das punições previstas no Tratado Penal Interdimensional: Viver no planeta Terra! Enviado para junto de seus iguais, a raça falida.
Desde então, perambula pelo submundo humano esperando a realização da Grande Profecia, o dia em que os Fudidos varrerão a Terra e a Sarjeta engolirá os salões de festas.
Enquanto isso, continua criando.
Vez ou outra ainda confunde ficção com realidade.

E-mail: wnyhyw@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/Nyhyhwh
Blog: partesforadotodo.blogspot.com.br






PUTRECRÔNICAS: UM BELO DIA PARA BEBER

O zumbi olha pra mim. Ou pelo menos está com os olhos em minha direção, um olhar opaco que não aparenta conseguir focalizar qualquer coisa. Uma baba cinzenta escorre de sua boca e pedaços de sangue coagulado caem dos buracos de bala. Pego um copo vazio no balcão, abasteço com uísque e jogo em frente a um banco ao meu lado.

-Senta aí e toma um trago, colega. Você tá precisando.

Não sei se o ser entendeu, ou percebeu o copo, mas continua a se arrastar em direção ao balcão. Enquanto, no segundo andar, uma barulheira dos infernos. Coisas batendo, quebrando, móveis sendo arrastados ou jogados, som aparentemente de uma janela sendo quebrada. Então, um grito estridente. Um zunido e percebo, por uma janela ali do salão, um corpo caindo de cabeça. Corro até a janela. O marombado se espatifou de cabeça no chão. O pescoço fez um horrendo u. Completamente quebrado. uma poça gigante de sangue se forma ao redor da cabeça. Que diabos ele estava tentando fazer? Sair pela janela pra chegar no telhado? Bem, já não importa mais. Que o diabo lhe conforte a alma.

Volto ao balcão. O zumbi está parado defronte ao copo que enchi pra ele, como se tentando lembrar o que fazer com aquilo. Aquela carcaça ambulante, mesmo já meio carcomida pelos vermes, sem dúvida tem uma aparência muito mais agradável que o marombado da cabeça rachada lá fora.

Ei. Chamo sua atenção. Ele se vira pra mim.

Ergo meu copo. Saúde. E entorno mais uma dose.

É provável que eu já esteja grogue e alucinando, mas tenho quase certeza que a criatura abraçou o copo com as duas mãos e lentamente, fazendo um esforço sobre-humano, ou sobre-zumbi, o ergueu em celebração.

 

 

Esta foi uma das páginas perdidas das

 

PUTRECRÔNICAS

RELATOS DA DECOMPOSIÇÃO HUMANA

 

Zumbis continuarão tentando mortoviver em um mundo aterrorizado pelos vivos. As páginas das Putrecrônicas estão perdidas por aí, espalhadas em zines, blogs, sites, livros e afins

Páginas: 1 2

Wagner Nyhyhwh
PUTRECRÔNICAS: UM BELO DIA PARA BEBER

O zumbi olha pra mim. Ou pelo menos está com os olhos em minha direção, um olhar opaco que não aparenta conseguir focalizar qualquer coisa. Uma baba cinzenta escorre de sua boca e pedaços de sangue coagulado caem dos buracos de bala. Pego um copo vazio no balcão, abasteço com uísque e jogo em frente a um banco ao meu lado.

-Senta aí e toma um trago, colega. Você tá precisando.

Não sei se o ser entendeu, ou percebeu o copo, mas continua a se arrastar em direção ao balcão. Enquanto, no segundo andar, uma barulheira dos infernos. Coisas batendo, quebrando, móveis sendo arrastados ou jogados, som aparentemente de uma janela sendo quebrada. Então, um grito estridente. Um zunido e percebo, por uma janela ali do salão, um corpo caindo de cabeça. Corro até a janela. O marombado se espatifou de cabeça no chão. O pescoço fez um horrendo u. Completamente quebrado. uma poça gigante de sangue se forma ao redor da cabeça. Que diabos ele estava tentando fazer? Sair pela janela pra chegar no telhado? Bem, já não importa mais. Que o diabo lhe conforte a alma.

Volto ao balcão. O zumbi está parado defronte ao copo que enchi pra ele, como se tentando lembrar o que fazer com aquilo. Aquela carcaça ambulante, mesmo já meio carcomida pelos vermes, sem dúvida tem uma aparência muito mais agradável que o marombado da cabeça rachada lá fora.

Ei. Chamo sua atenção. Ele se vira pra mim.

Ergo meu copo. Saúde. E entorno mais uma dose.

É provável que eu já esteja grogue e alucinando, mas tenho quase certeza que a criatura abraçou o copo com as duas mãos e lentamente, fazendo um esforço sobre-humano, ou sobre-zumbi, o ergueu em celebração.

 

 

Esta foi uma das páginas perdidas das

 

PUTRECRÔNICAS

RELATOS DA DECOMPOSIÇÃO HUMANA

 

Zumbis continuarão tentando mortoviver em um mundo aterrorizado pelos vivos. As páginas das Putrecrônicas estão perdidas por aí, espalhadas em zines, blogs, sites, livros e afins

Páginas: 1 2