Ave Cezar - Wender Lucas Fernandes
Wender Lucas Fernandes
Humano podre, escritor maldito e alcoólatra degenerado. Moro na infernal cidade de Palmeira dos Índios- AL, escrevo desde 2014, meus companheiros de porre são Augusto dos Anjos (que me ensinou a necessidade inevitável que o homem tem de ser fera, diante dessa sociedade doentia e acabada) Charles Bukowski (Que me ensinou que o pior problema que um homem pode ter, é estar sóbrio) e Thoreau (Que me ensinou a desconfiar de qualquer atividade que requeira roupa nova). Casado com a insanidade, amante da tosqueira e inimigo da sociedade,tento passar alguns pensamentos aleatórios para um pedaço de papel.





Ave Cezar

Um governante mal pagador
Que mata em nome do senhor
Que achando que é honesto
Participa do plano funesto

Que anuncia no faceprint
O fim de tudo que existe
Que sem pagar seus funcionários
Só é chamado de otário

E com a vingança dos moradores
Ele se vê em um circo de horrores
Arrancam sua cabeça
E agradecem como prece bem feita

A expõem em praça pública
E um crucifixo invertido põe na nuca
Sua cabeça vira ponto turístico
E o crucifixo vira casa de cristo.

Um governante mal pagador
Que mata em nome do senhor
Que achando que é honesto
Participa do plano funesto

Que anuncia no faceprint
O fim de tudo que existe
Que sem pagar seus funcionários
Só é chamado de otário

E com a vingança dos moradores
Ele se vê em um circo de horrores
Arrancam sua cabeça
E agradecem como prece bem feita

A expõem em praça pública
E um crucifixo invertido põe na nuca
Sua cabeça vira ponto turístico
E o crucifixo vira casa de cristo.