Domingo em Familia - Wender Lucas Fernandes
Wender Lucas Fernandes
Humano podre, escritor maldito e alcoólatra degenerado. Moro na infernal cidade de Palmeira dos Índios- AL, escrevo desde 2014, meus companheiros de porre são Augusto dos Anjos (que me ensinou a necessidade inevitável que o homem tem de ser fera, diante dessa sociedade doentia e acabada) Charles Bukowski (Que me ensinou que o pior problema que um homem pode ter, é estar sóbrio) e Thoreau (Que me ensinou a desconfiar de qualquer atividade que requeira roupa nova). Casado com a insanidade, amante da tosqueira e inimigo da sociedade,tento passar alguns pensamentos aleatórios para um pedaço de papel.





Domingo em Familia

A confiança jogada ao parentesco imundo

Faz com que a descrença o leve a vida

A fé cega em um deus inexistente

Te jogou em um leito eterno de partida

 

A imundice familiar presente no momento

Me enoja ao vomitarem tanto excremento

A solidariedade falsa do luto que dizem nosso

Não passa de arrependimento e remorso

 

O desprezo me toma conta sem pena

E o desejo que todos morram na quarentena

O vínculo foi quebrado na morte

Não tenho mais ligação, contato nem sorte

 

Após o fim da vida todo mundo é belo

A morte fortalece todo o elo

Desnecessário esse amor repentino

Que a desgraça esteja presente em vossos destinos.

 

 

 

 

Wender Lucas Fernandes
Domingo em Familia

A confiança jogada ao parentesco imundo

Faz com que a descrença o leve a vida

A fé cega em um deus inexistente

Te jogou em um leito eterno de partida

 

A imundice familiar presente no momento

Me enoja ao vomitarem tanto excremento

A solidariedade falsa do luto que dizem nosso

Não passa de arrependimento e remorso

 

O desprezo me toma conta sem pena

E o desejo que todos morram na quarentena

O vínculo foi quebrado na morte

Não tenho mais ligação, contato nem sorte

 

Após o fim da vida todo mundo é belo

A morte fortalece todo o elo

Desnecessário esse amor repentino

Que a desgraça esteja presente em vossos destinos.